Tamanho do texto

Treinador da seleção brasileira preferiu não condenar ou passar a mão na cabeça de Neymar sobre o caso de estupro que está sendo acusado

Neymar e Tite com a seleção brasileira%2C em Teresópolis
CBF/Divulgação
Neymar e Tite com a seleção brasileira, em Teresópolis

Como não poderia ser diferente, o assunto principal da coletiva de imprensa do técnico Tite nesta segunda-feira, na Granja Comary, em Teresópolis, foi o  caso de estupro do atacante Neymar - o jogador foi acusado por uma mulher que esteve em Paris no último mês de maio.

Leia mais sobre o caso Neymar:

O comandante da seleção brasileira não quis se estender sobre o assunto, mas disse que espera uma rápida solução do caso para que Neymar fique focado apenas na disputa da Copa América, que começa neste mês de junho. 

"Eu sei da importância do assunto, tenho a real dimensão. E sei também que é um assunto pessoal, e tem um tempo para que as pessoas possam julgar os fatos. Eu não vou me permitir a julgar os fatos. O que eu posso passar é que são três anos que tenho de convívio com o Neymar, e os assuntos pessoais que tratamos foram leais e verdadeiros. Eu não posso julgar", disse o técnico.

"Sendo transparente, respondendo as perguntas, mas entendendo que é um processo, mas nosso foco é no amistoso contra o Catar. Preparação diária, construção de trabalho em que ele está inserido. Ele é um jogador diferente, mas para ele acontecer há um processo. A equipe está acima disso, nosso trabalho está acima disso", falou.

Leia também: Neymar, Robinho, CR7, Cuca, Mike Tyson... confira atletas acusados de estupro

O coordenador da seleção, Edu Gaspar , também comentou o assunto e disse que procurou uma assessoria jurídica para CBF, além de disponibilizá-la também para o jogador. A intenção é resolver a questão o mais rápido possível.

Neymar durante o treino da seleção brasileira
LUCAS FIGUEIREDO/CBF
Neymar durante o treino da seleção brasileira

"Devido a importância do caso, primeira coisa que fiz foi buscar uma assessoria jurídica. No sábado de manhã, recebemos um delegado, passamos informações. A ideia central de ter a assessoria, por eu não entender os processos que devo cumprir, e deixar a assessoria jurídica ao atleta, para a CBF, e centralizar as informações", comentou Edu.

"A partir daí, tentar resolver o caso o mais rápido possível. A ideia seria a assessoria estar aqui para resolver o caso o mais rápido possível, para que o atleta esteja com a cabeça tranquila para a Copa América", disse.

Sobre o psicológico de Neymar na seleção, Tite falou. "Fica essa relação que sempre tive com ele. Seleção está acima de todos nós, e dando o nosso melhor, estaremos contribuindo. O senso de equipe está acima de nós todos", avisou.

O treinador falou também de repassar a braçadeira de capitão para Daniel Alves, a tirando de Neymar . "Eu conversei com o Neymar, inicialmente conversei com o Dani por telefone, que consentiu. Depois conversei com o Dani pessoalmente. Aquilo que tínhamos falado está na relação do técnico com o atleta. Foi com o Neymar e com o Dani. Tinha que dar essa resposta", finalizou.