Tamanho do texto

Caso do goleiro não é exclusividade no futebol, já que outros jogadores também voltaram à ativa depois de ficarem presos

Goleiro Bruno posa com a camisa do Poços de Caldas arrow-options
Divulgação/Poços de Caldas FC
Goleiro Bruno posa com a camisa do Poços de Caldas

Acusado de participar do assassinato da então amante Eliza Samudio, em 2010, o goleiro Bruno , de 34 anos de idade, conseguiu progressão de pena e agora passa a cumprir regime semiaberto , prestes a retornar ao gramados.

Leia também: Poços de Caldas, de MG, oficializa contratação do goleiro Bruno

E não faltavam interessados, já que quatro clubes manifestaram desejo de contar com o atleta, segundo a sua própria advogada. No final das contas, o arqueiro acertou com o Poços de Caldas, de Minas Gerais .

Vale lembrar que, em 2017, quando conseguiu um habeas corpus e deixou a prisão, Bruno Fernandes chegou a ser contratado pelo Boa Esporte, atuando em algumas partidas. Mas depois retornou ao presídio para cumprir a pena em regime fechado.

Goleiro Bruno defendeu o Boa Esporte em 2017 e, agora em 2019, pode retornar aos gramados arrow-options
Divulgação
Goleiro Bruno defendeu o Boa Esporte em 2017 e, agora em 2019, pode retornar aos gramados

Leia também: De OJ Simpson a Jobson: Relembre 13 atletas que foram parar atrás das grades

O caso de Bruno não é exclusividade dentro do futebol. Existem outros jogadores que chegaram a ficar encarceirados, independente do tempo, mas que depois deixaram a prisão para retornar aos gramados. Confira abaixo:

César, lateral esquerdo

Cesar%2C ex-lateral do São Caetano. Ele também ficou preso arrow-options
Reprodução
Cesar, ex-lateral do São Caetano. Ele também ficou preso

Grande astro do São Caetano no começo dos anos 2000, César foi enquadrado no artigo 157, assalto à mão armada, ao participar de um roubo de 100 mil dólares do Juventus da Mooca, time pelo qual atuava, em 1994. Ele foi condenado a cinco anos e seis meses de detenção e ficou no Carandiru. Ganhou o direito de cumprir pena em regime semiaberto a partir de 1999, sendo que depois ainda atuou por Lazio, Inter de Milão e Corinthians.

Breno, zagueiro

Breno%2C zagueiro do Vasco. Ele foi preso na Alemanha por incendiar a própria casa arrow-options
Paulo Fernandes/Vasco.com.br/Divulgação
Breno, zagueiro do Vasco. Ele foi preso na Alemanha por incendiar a própria casa

Em julho de 2012, Breno foi condenado a três anos e nove meses de detenção na Alemanha por atear fogo na própria casa onde morava. Na época, ele defendia o Bayern de Munique. O jogador cumpriu dois terços de sua pena e, em 2015, retornou ao São Paulo, clube pelo qual foi revelado antes de se transferir para o futebol alemão, e atualmente defende o Vasco.

Valdiram, atacante

Valdiram se destacou pelo Vasco arrow-options
Arquivo iG Esporte
Valdiram se destacou pelo Vasco

O atacante Valdiram, que foi assassinado neste ano, em São Paulo , foi contratado pelo Vasco em 2006 depois de ficar preso em três oportunidades. A primeira foi em 2000, quando atuava pelo Mirassol, por agredir uma namorada; em 2003, quando estava no CRB, foi detido acusado de tentar estuprar uma vendedora. No ano seguinte, quando jogava em Portugal, também foi preso por tentativa de estupro a uma mulher e tentativa de homicídio a um homem.

Jobson, atacante

Jobson já foi preso duas vezes arrow-options
Reprodução
Jobson já foi preso duas vezes

Em 2016, Jobson foi acusado de estupro de quatro menores de idade e acabou sendo levado para o Presídio de Marabá. Foi solto no mesmo ano após pagar fiança. No ano seguinte, voltou a ser preso após se envolver em um acidente de trânsito que causou a morte de um homem, no Tocantins. Livre novamente, ele voltou aos gramados pelo Brasiliense e também defendeu o Capital-DF.

Cuca, atacante (hoje técnico)

Cuc, técnico do São Paulo arrow-options
Site oficial
Cuc, técnico do São Paulo

Atualmente treinador, Cuca foi acusado de ter estuprado a suíça Sandra Pfäffli, de 14 anos, em 1987, quando defendia as cores do Grêmio - a moça teria ido pedir autógrafo aos jogadores do time gaúcho no hotel da delegação e foi atraída ao quarto para ter relações sexuais. Juntamente com os colegas Henrique, Eduardo e Fernando, Cuca ficou preso por 28 dias no país europeu antes de voltar ao Brasil e ainda teve que pagar 4 mil dólares. 

Viola, atacante

Viola foi detido com uma pistola calibre 380 arrow-options
Futura Press
Viola foi detido com uma pistola calibre 380

O caricato centroavante de Corinthians, Palmeiras e Santos  foi preso em Carapicuíba no ano de 2012, acusado pela esposa de ter cometido violência doméstica contra sua esposa, além de ser detido por porte ilegal de arma de fogo e desobediência judicial. Ficou preso por cinco dias. Depois desse incidente, já veterano, jogou por Grêmio Osasco, Tanabi, Portuguesa Santista e Taboão da Serra.

René Higuita, goleiro

René Higuita foi preso em 1993 por se envolver em um sequestro arrow-options
Divulgação
René Higuita foi preso em 1993 por se envolver em um sequestro

O folclórico goleiro colombiano foi preso em 1993, acusado de participação em um sequestro - isso, inclusive, o tirou da Copa do Mundo de 1994. Depois de cumprir a pena, voltou a jogar por times do seu país, como Atlético Nacional, Independiente Medellín e Junior Barranquilla, entre outros clubes.

Régis, lateral-direito

Lateral Régis%2C do São Bento%2C já foi preso por embriaguez ao volante e posse de drogas arrow-options
Divulgação
Lateral Régis, do São Bento, já foi preso por embriaguez ao volante e posse de drogas

Régis já foi preso  por embriaguez ao volante, posse de drogas, tentativa de invasão a um apartamento e tentativa de invasão a um motel. Mesmo após tanta polêmica, inclusive sendo usuário de drogas, voltou a atuar por CSA e São Bento.

Marcelinho Paraíba, atacante

Marcelinho Paraíba foi indiciado por tentativa de estupro e pode pegar de oito a 12 anos de prisão arrow-options
Futura Press
Marcelinho Paraíba foi preso por tentativa de estupro e agressão

O experiente atleta foi preso em 2010 sob acusação de tentar estuprar uma mulher durante uma festa em seu sítio, na cidade de Campina Grande. Na época ele defendia o Sport. Em 2012, também foi preso acusado de agressão contra a ex-mulher . Na sua volta aos gramados, Marcelinho defendeu muitos clubes, como Boa Esporte, Fortaleza, Joinville, Oeste, Portuguesa e Treze.

Romário, atacante

Depois de ser preso, Romário ainda atuou no América-RJ arrow-options
Divulgação
Depois de ser preso, Romário ainda atuou no América-RJ

Em 2009, o "Baixinho" foi preso por não pagar pensão a Monica Santoro , sua ex-mulher, passando 22 horas na cadeia. Com o débito quitado, surpreendeu ao anunciar sua volta aos gramados para defender o América-RJ e realizar o sonho do pai.

Vampeta, volante

Vampeta, ex-volante arrow-options
Divulgação
Vampeta, ex-volante

Vampeta não ficou muito tempo preso, foi apenas por um dia, mas como aconteceu em um outro país, viveu momentos de tensão. Em 2005, quando atuva no Al Salmiya Club, do Kuwait, foi detido por transportar seis litros de vinho - vale destacar que bebida alcoolica é proibida no país asiático. Depois dessa prisão, ainda jogou por Brasiliense, Goiás, Corinthians, Juventus e Osasco.

Diego Maradona, meio-campista

Maradona chegou a ser preso em 1991 arrow-options
Reprodução
Maradona chegou a ser preso em 1991

Em 1991, Maradona foi preso em Buenos Aires, na Argentina, por porte de cocaína. Acabou sendo detido num sábado e foi solto no domingo após pagar 20 mil dólares de fiança. Voltou aos campos defendendo Sevilla, Newell's Old Boys e Boca Juniors e, também, jogou a Copa do Mundo de 1994 com a seleção do seu país, nos Estados Unidos.

Leônidas da Silva, atacante

Leônidas da Silva falsificou documento e foi preso em 1941 arrow-options
Reprodução
Leônidas da Silva falsificou documento e foi preso em 1941

Artilheiro da Copa do Mundo de 1938, Leônidas da Silva foi preso em 1941 por falsificar o certificado de dispensa do serviço militar. Foram oito meses de detenção no quartel de Realengo. No ano seguinte, em 1942, foi contratado pelo São Paulo, onde brilhou até 1950.

Hernande, meio-campista

Hernande%2C ex-meia de Vasco e Botafogo arrow-options
Arquivo pessoal
Hernande, ex-meia de Vasco e Botafogo

Revelado no Vasco no início da década de 90, Hernande ficou sete meses preso depois de atropelar três pessoas em 1995. Ainda em regime semiaberto, retornou aos gramados jogando pelo Botafogo, mas sem grande sucesso. Hoje aposentado, ele passou por equipes de menor expressão do Rio de Janeiro, como Teresópolis, Volta Redonda e Silva Jardim.

    Leia tudo sobre: Futebol