Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

A mil dias da Copa, maioria dos estádios está dentro do prazo

Oito das 12 sedes estão dentro do cronograma e prometem entregar estádios no prazo. Quatro tentam superar problemas

Marcel Rizzo, iG São Paulo |

A mil dias do início da Copa do Mundo de 2014, as 12 sedes escolhidas para receber os jogos estão em estágios diferentes nas obras para construção e reformas dos estádios. A maioria deles (oito) está dentro do cronograma e devem ser entregues nos prazos indicados – e, por isso, concorrem a receber também a Copa das Confederações, em junho de 2013. Os outros quatro estão atrasados por motivos distintos.

Leia especial do iG sobre o andamento das obras da Copa

A Copa do Mundo terá início em 12 de junho e, apesar de o estádio do Corinthians no bairro de Itaquera, em São Paulo, ser um dos atrasados, é provável que receba o jogo inaugural – a previsão de entrega é fevereiro de 2014, quatro meses antes da abertura. Os três estádios privados escolhidos como sedes (Fielzão, Beira-Rio e Arena da Baixada) têm ou tiveram problemas - sofrem com mais dificuldade em conseguir levantar dinheiro.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Os demais estádios, públicos, estão trabalhando com empréstimo do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), com teto de R$ 400 milhões, e com PPPs (Parceria Público Privada). Veja abaixo fotos de como estão as obras atualmente:

Com base nas informações divulgadas pelo Ministério do Esporte, o iG mostra em que estágio estão as obras faltando mil dias para a competição:

Obras dentro do cronograma:

Estádio Preço Prazo de entrega Estágio
Mineirão (Belo Horizonte) R$ 743,4 milhões Dezembro de 2012 Terraplenagem e fundação
Fonte Nova (Salvador) R$ 591,7 milhões Dezembro de 2012 Pilares, ligas e lajes pré-moldadas são montadas
 Estádio Nacional (Brasília) R$ 676,5 milhões Dezembro de 2012 Implantação de pilares e estrutura de concreto armado e metálica
 Maracanã (Rio de Janeiro)  R$ 931,8 milhões  Dezembro de 2012 Demolição do anel superior e elevação do anel inferior em 5m
 Vivaldão (Manaus)  R$ 533,3 milhões Junho de 2013 Drenagem e fundações
 Verdão (Cuiabá)  R$ 596,7 milhões  Dezembro de 2012 Implantação de pilares, lajes e estruturas
 Castelão (Fortaleza) R$ 486 milhões  Dezembro de 2012 Implantação dos pilares e demolição
 Arena de Pernambuco (Recife) R$ 494,2 milhões  Dezembro de 2012 Obras de fundação

As arenas de Belo Horizonte, Brasília e Salvador, cidades que brigam para ser sede da abertura, estão com obras adiantadas. As três também esperam receber jogos da seleção brasileira durante a Copa do Mundo, já que o Brasil deve atuar nos estádios com maior capacidade (caso das três citadas). O estádio Nacional de Brasília, antigo Mané Garrincha, por exemplo, tem até horário para ser inaugurado: 11h de 12 de dezembro de 2012.

O Maracanã, que será sede da final no dia 13 de julho de 2014, tem as obras dentro do cronograma, segundo a Secretaria de Obras do Estado do Rio, mas sofre com a greve de funcionários e o prazo de dezembro de 2012 pode ser comprometido.

Fortaleza teve problemas na demolição do antigo Castelão, mas houve melhora no andamento com a liberação do empréstimo do BNDES no valor de R$ 351 milhões.

A nova situação levou o Governo do Ceará a pleitear uma vaga na Copa das Confederações, o evento teste para a Copa, que terá cinco sedes (Rio, Brasília, Salvador e Belo Horizonte estão asseguradas. A briga de Fortaleza seria com Porto Alegre). Recife, Cuiabá e Manaus tem as obras andando e não devem ter problemas.

O iG visitou e fez fotos da "Arena Manaus".

Obras que tem ou tiveram problemas: 

Estádio Preço Prazo de entrega Estágio
Estádio do Corinthians (São Paulo) R$ 820 milhões Dezembro de 2013 Terraplenagem e fundações
Beira-Rio (Porto Alegre) R$ 290 milhões Março de 2012 Terraplenagem e fundação para cobertura
Arena da Baixada (Curitiba) R$ 135 milhões Dezembro de 2012 Obra parada
Arena das Dunas (Natal) R$ 413 milhões Dezembro de 2013 Iniciada a preparação para a demolição

A maior dúvida da Copa do Mundo saiu do papel: o estádio do Corinthians, apelidado de "Fielzão", começou a ser construído, tinha prazo de entrega para fevereiro de 2014, que foi antecipado para dezembro de 2013 pela construtora Odebrecht e deve ser indicado em outubro, em Zurique (Suíça), para a abertura da Copa do Mundo. A demora para definição do estádio, depois de o Morumbi ser descartado, fez São Paulo perder a Copa das Confederações, já que a maior cidade do país não tem tempo hábil para o estádio ficar pronto até junho de 2013. Como mostrou o iG, porém, pelo cronograma oficial a previsão é que esteja 100% pronto somente com a Copa em andamento.

Também privados, o Beira-Rio, do Internacional, e a Arena da Baixada, do Atlético-PR, sofrem problemas com financiamento, apesar de terem custos bem inferiores aos públicos porque farão apenas reformas pontuais. A Arena, por exemplo, já foi o estádio mais moderno do Brasil, mas precisa ser terminado e a obra ainda não começou. Como Natal, Curitiba corre assim risco até de deixar de ser sede - o que não acontece com Porto Alegre, porque há a opção B, a arena que o Grêmio constrói.

A situação de Natal é critica: o estádio nem sequer foi demolido, funcionários começaram a cercar o terreno da obra nos últimos dias e a terraplenagem começou a ser estudada. Houve demora na assinatura de contrato com a construtora responsável pela obra, o que atrasou a liberação do financiamento do BNDES. Se uma sede corre risco de sair, esta é a capital do Rio Grande do Norte.

Leia tudo sobre: Copa 2014Copa das Confederaçõescbffifa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG