Tamanho do texto

Primeira partida da decisão histórica envolvendo dois dos principais clubes argentinos acontece neste sábado, em La Bombonera; volta será no dia 24

O mundo do futebol irá parar neste sábado. O estádio La Bombonera, em Buenos Aires, será o palco do primeiro jogo da histórica final da Libertadores da América de 2018, entre Boca Juniors e River Plate.

Leia também: Presidente russo Vladimir Putin deve marcar presença na final da Libertadores

Final da Libertadores 2018 entre Boca Juniors e River Plate agita mundo do futebol
Divulgação
Final da Libertadores 2018 entre Boca Juniors e River Plate agita mundo do futebol

A rivalidade entre os clubes já dura mais de 100 anos, mas nenhum jogo desta história centenária terá a mesma representatividade e o peso do que essas duas partidas na final da Libertadores 2018.

Os arredores do La Bombonera entraram no clima da superfinal desde o início da semana. O tradicional estádio recebeu diversos turistas e grupos de excursões, assim como muitos torcedores xeneizes desesperados para garantir um ingresso.

Nesta quinta-feira, dezenas de sócios torcedores do Boca protestaram na frente do estádio, denunciando um suposto esquema de desvios de ingressos do jogo para vendas paralelas. Na internet, é possível encontrar alguns tickets sendo vendidos por mais de R$ 12 mil .

O histórico confronto está sendo também debatido na Europa. O técnico do Barcelona, Ernesto Valverde, afirmou que o clássico será a "partida do século" e irá ser "bonito de ver". O espanhol também comparou o jogo com uma decisão da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Barcelona.

Já o meio-campista do Zenit e da seleção da Argentina, Leandro Paredes, está sendo acusado pelos torcedores do seu clube , de ter forçado sua própria expulsão em um jogo do Campeonato Russo para assistir a final da Libertadores. O jogador de 24 anos é torcedor fanático do Boca Juniors, além de ter sido revelado pelo clube de coração.

O jogo foi comentado também pelo goleiro Gianluigi Buffon. O italiano afirmou que sua torcida ficará no lado azul e amarelo , principalmente pela sua amizade com o ex-companheiro de equipe Carlos Tévez, que atualmente defende o Boca Juniors.

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, entrou em polêmica nesta quinta ao fazer uma brincadeira sobre o jogo. O atual chefe de Estado argentino foi mandatário do Boca Juniors por quase 13 anos, e em uma conversa com alguns amigos, quebrou o protocolo ao ser gravado falando: "tem que dar desta vez, este cu*** do Gallardo".

A ofensa ao treinador do River Plate e ao próprio clube viralizou nas redes sociais, principalmente por anteriormente ter pedido paz e harmonia aos arquirrivais. A diretoria dos millonarios respondeu a provocação do ex-mandatário do Boca.

"Com todo respeito ao senhor presidente, creio que os dirigentes têm o dever e a obrigação, neste momento, de não fazer piadas e nem nada do estilo. Deixasse para outro momento, deixasse isso para os seus amigos", disse o presidente do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, em entrevista à emissora La Nacion.

A primeira partida da final da Libertadores entre Boca Juniors e River Plate será realizada neste sábado, a partir das 18h (de Brasília), no estádio La Bombonera. Os dois gigantes argentinos decidirão o troféu no dia 24, no Monumental de Nuñez. Ambos os confrontos serão disputados com torcida única .

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.