NBA
Reprodução/Facebook
Liga definiu retorno com apenas 22 equipes e todos os duelos disputados em um mesmo local: o complexo esportivo da Disney

31 de julho. Esta é a data definida pelo Conselho de Administração da NBA e a Associação Nacional de Jogadores para o retorno da temporada 2019/2020, que será disputada em formato completamente diferente, com menos equipes e em lugar único: o complexo esportivo da Disney, na cidade de Orlando (EUA). Tudo para evitar problemas com a pandemia de Covid-19, que segue em tendência de alta no país .

A atual situação da doença, inclusive, é um dos principais temas entre atletas e franquias, que começam a temer o aumento no número de casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no estado da Flórida, exatamente o local escolhido pela liga para a continuidade dos jogos, em data tão próxima ao início das testagens, que começaram nesta terça-feira (23).

Em conversa recente com executivos da liga, e divulgada pela ESPN norte-americana, o comissário Adam Silver demonstrou certa preocupação com o problema, mas manteve a confiança no conceito de “ bolha ” criado, que pretende manter atletas e comissão técnica de todas as equipes separados do restante do mundo no complexo da Disney , garantindo assim que não haverá nenhum contágio.

O que pensam os jogadores

NBA
Reprodução/Facebook
Atletas da NBA participaram ativamente dos protestos pela morte de George Floyd

Além da pandemia , os EUA vivem um cenário diferente, impulsionado pelos  protestos que tomaram diversas cidades após a morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por um policial branco, no último dia 25 de maio. Muitos atletas chegaram a participar das manifestações e a demonstrar descontentamento com o retorno da liga, o que consideram que poderia diminuir o peso da mensagem e da luta pelas vidas negras no país.

Entre as principais vozes contrárias está o astro Kyrie Irving, do Brooklyn Nets. Ele foi um dos responsáveis por criar uma coalizão de atletas , para que eles fossem ouvidos durante as discussões. As principais questões do grupo tratam das reais condições da “bolha” criada pela NBA, a segurança de todos os envolvidos, além da possibilidade de lesões a que os atletas estarão sujeitos devido ao tempo de inatividade.

“Vejo a NBA muito preocupada com a segurança de todos os envolvidos, desde jogadores, staff, mídia e demais profissionais, seguindo as orientações das autoridades de saúde e de especialistas. Estamos tendo muitas conversas, a NBA foi a primeira liga a suspender a competição e vem mostrando muita preocupação, muita cautela. Esse é o melhor caminho”, afirma o armador Raulzinho , que atualmente defende o Philadelphia 76ers.

Para amenizar os efeitos da falta de treinos durante o isolamento social, ele lembra atividades e exercícios feitos dentro de casa, que iam do uso de aparelhos até as pausas para livros e filmes para “manter a cabeça boa”. “Tinha alguns aparelhos para poder me exercitar, correr e consegui uma quadra para bater bola em alguns dias, sempre em horários alternativos, quando houve um afrouxamento do isolamento. Porém, não é a mesma coisa em termos de intensidade e de qualidade”, diz.

View this post on Instagram

👀

A post shared by Raul Neto 🏀 (@raulneto08) on

Já sobre o cenário montado para a continuidade da temporada, Raulzinho, que compõe com o ala-pivô Bruno Caboclo , do Houston Rockets, a dupla de brasileiros que deverá participar deste reinício, vê com estranheza a possibilidade de uma arena sem torcedores, o que torna a quadra neutra para todas as equipes e transforma a atmosfera: “o esporte muda, o ambiente é outro”.

Tal situação, além de inédita, traz uma dúvida para a pós-temporada: como ficarão as equipes que lideram as conferências e teriam direito de mando de quadra nos playoffs ? Até o momento, a liga ainda não definiu como este problema será contornado, mas algumas opções são estudadas, como mais posses de bola no início dos quartos, direito a mais faltas para jogadores específicos ou até mais desafios para os técnicos.

Medidas de segurança

Disney
Reprodução/Disney
Casa do Mickey será o palco da volta da temporada 2019/2020

Para garantir que a “bolha” montada em Orlando surtirá o efeito desejado, a liga preparou um manual com 113 para detalhar todas as medidas e precauções de saúde que serão tomadas nesta retomada. Da parte da Disney, serão disponibilizados funcionários e hotéis específicos para evitar qualquer tipo de contato da equipe da empresa com os atletas e comissões.

Além dos equipamentos de proteção individuais, conhecidos como EPIs, e das regras de distanciamento social , que seguirão sendo cumpridas dentro e fora dos ginásios, a NBA preparou uma inovação para garantir ainda mais segurança aos envolvidos: um anel inteligente, que pode prever com antecedência os sintomas da Covid-19 !

Produzido por pesquisadores da Universidade West Virginia (EUA) e a empresa Oura Health, o Oura Ring capta sinais como temperatura corporal, funções respiratórias, batimentos cardíacos e até padrões de sono. Segundo a CBS Sports, a ideia é não apenas detectar possíveis contaminações, mas também problemas de saúde que possam facilitar a infecção ou antecipar lesões causadas pelo longo tempo de inatividade.

Regras da retomada e definições de datas

Raptors
NBA Photo
Atual campeão, o Toronto Raptors segue na briga pelo bicampeonato

Na reunião entre o Conselho de Administração da NBA e a Associação Nacional de Jogadores, ficou definido que apenas 22 equipes estarão nesta retomada : os oito primeiros colocados, que estariam classificados para os playoffs, mais seis equipes que têm até seis vitórias a menos do que as primeiras e ainda têm chances de conseguirem uma vaga.

A ideia é que as franquias façam de dois a três jogos amistosos antes do retorno oficial, que deve contar com oito partidas para cada equipe e durar até 15 de agosto. Além disso, há a possibilidade de uma repescagem para a definição do oitavo classificado: caso no 9º colocado termine com distância de quatro vitórias ou menos para o 8º, eles jogarão entre si pela vaga. Ao oitavo, bastará uma vitória nesse duelo, enquanto o nono precisará vencer duas vezes.

Apesar das mudanças, os playoffs permanecem com a mesma definição. Os oitos classificados de cada conferência farão três confrontos até a série final, que está programada para ter início no dia 30 de setembro, data que pode ser antecipada caso os duelos anteriores terminem precocemente. Entre os que ainda brigam por um espaço na pós-temporada, estão Brooklyn Nets, Orlando Magic e Washington Wizards no Leste, e Memphis Grizzlies, Portland Trail Blazers, New Orleans Pelicans, Sacramento Kings, San Antonio Spurs e Phoenix Suns no Oeste.

Confira a programação da liga

Junho

  • 30 de junho - Início da fase de treinamentos antes da viagem

Julho

  • 7 de julho - Viagem para Orlando, na Flórida
  • 9 a 29 de julho - Período de treinos
  • 30 de julho - Reinício da temporada regular

Agosto

  • 14 de agosto - Fim da fase regular
  • 15 e 16 de agosto - Repescagem para os playoffs
  • 17 de agosto - Início dos playoffs
  • 31 de agosto - Início das semifinais de Conferência

Setembro

  • 15 de setembro - Início das finais de Conferência
  • 30 de setembro - Início das finais da NBA

Outubro

  • 16 de outubro - Draft da NBA
  • 18 de outubro - Início do período de negociações livres (free agency)

Novembro

  • 10 de novembro - Início dos treinos para a temporada 2020-2021

Dezembro

  • 1 de dezembro -Início da temporada 2020-2021

    Veja Também

      Mostrar mais