Tamanho do texto

Pelo quarto ano seguido, o Brasil Open juntamente com a PremieRpet levam cachorros para o evento a fim de incentivar a adoção de pets abandonados

Brasil Open incentiva a adoção de pets com meio de cãodulas
Reprodução
Brasil Open incentiva a adoção de pets com meio de cãodulas

Com objetivo de incentivar a adoção de cachorros abandonados, o Brasil Open de 2019 contará com ‘cãodulas’ durante as partidas de semifinal, no próximo fim de semana.

Leia também:  CSA anuncia dispensa do lateral Régis após confusão em motel de Maceió

O projeto conta com cinco pets e tem como parceiro a PremieRpet, uma empresa especializada em alimentos para cães e gatos. É o quarto ano que o torneio da ATP no Brasil apoia a iniciativa da adoção .

“Queremos reforçar a mensagem de que os cães só precisam de um lar amoroso e nutrição de qualidade para serem os melhores amigos de seus tutores. Colocamos em evidência a causa da adoção com uma abordagem de alegria, em busca de uma nova oportunidade para estes e tantos outros cães que vivem em abrigos”, comentou a diretora de marketing da PremieRpet, Madalena Spinazzola.

Pipoca, Teca, Thor, Kyara e Bobby serão os cãesdula do Brasil Open 2019. Eles estão sob os cuidados da Ong Patinhas Unidas, que atuou em outros torneios de tênis com a campanha de adoção.

Em busca de adoção, cachorros viram gandulas no Brasil Open 2019
Rodrigo Agnelli
Em busca de adoção, cachorros viram gandulas no Brasil Open 2019


O Pipoca tem três anos e é atleta, carismático e adora brincar. Já a Teca é mais velha, tem cinco aninhos e é muito elegante e amorosa, adora a companhia das pessoas e aguarda uma família para se divertir.

Leia também:  Portuguesa tem troféus penhorados pela Justiça por dívida com ex-jogador

O Thor também tem cinco anos, ama beber água, é obediente, cheio de disposição e será cãodula pelo segundo ano consecutivo. Já a Kyara, de quatro anos, ama bolinhas e é cheia de energia.

Em busca de adoção, cachorros viram gandulas no Brasil Open 2019
Rodrigo Agnelli
Em busca de adoção, cachorros viram gandulas no Brasil Open 2019

O último membro do time é o Bobby, de quatro anos, que ama bolas de tênis e também está no segundo ano de Brasil Open .

Quem estiver no evento que acontece no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e se interessar pelos bichinhos pode procurar algum representante da PremieRpet no local ou entrar em contato pelo telefone 0800 55 6666.

A presença de cachorros em partidas de tênis não fica restrita ao Brasil. No início de dezembro de 2018, o Torneio dos Grandes Campeões de Tênis, realizado na Inglaterra , teve três cachorros da Canine Partners Aftercare como gandulas.

Na ocasião, a entrada dos cachorros não teve como intuito incentivar a adoção , mas sim conscientizar a torcida sobre a importância dos bichos como auxiliares de pessoas com deficiência física.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas