Tamanho do texto

Brasileiro campeão mundial em 2014 brigará pelo bi com o compatriota Felipe Toledo e o australiano Julian Wilson; próxima etapa será em Portugal

O australiano Julian Wilson conquistou sua segunda vitória na temporada e acabou com a longa série de sete vitórias consecutivas do Brasil no Mundial de Surfe . Já o brasileiro Gabriel Medina, eliminado na semifinal, assumiu a liderança do ranking a duas etapas do fim.

Leia também: Depois de entrar para o Guinness Book, Maya Gabeira pode se aposentar do surfe

Gabriel Medina foi eliminado na semifinal da etapa francesa, mas assumiu a ponta do ranking do Mundial a duas etapas do fim
WSL / Poullenot
Gabriel Medina foi eliminado na semifinal da etapa francesa, mas assumiu a ponta do ranking do Mundial a duas etapas do fim

A decisão da etapa francesa foi com dois atletas da Austrália como na primeira etapa, com Julian derrotando o convidado Ryan Callinan com a mesma arma que usou para barrar Gabriel Medina com uma nota 10 nas semifinais, o aéreo reverse de backside nas esquerdas de Les Culs Nus.

Medina assumiu a ponta na corrida pelo título mundial e agora Julian Wilson entrou na briga, já com chances de disputar a lycra amarela (dada ao primeiro do ranking) com ele e Filipe Toledo na próxima etapa, que começa na terça-feira em Portugal.

Com a derrota de Filipe Toledo na terceira fase para a grande surpresa do Quiksilver Pro France, o convidado Ryan Callinan, Medina precisava chegar nas semifinais para lhe tirar o primeiro lugar no ranking.

Ele já tinha feito isso cinco vezes nos sete anos que competiu na França e conseguiu de novo, ganhando a reedição da sua vitória na final do ano passado com o havaiano Sebastian Zietz na última quarta de final.

Aí encontrou o mesmo Julian Wilson com quem decidiu o título em Hossegor em 2012, quando tentava o bicampeonato em sua segunda participação na etapa francesa do World Surf League Championship Tour.

Foi uma verdadeira batalha aérea nas esquerdas de Les Culs Nus e o australiano completou um “aéreo reverse” muito alto logo no início da bateria, que os juízes deram nota 10 unânime para ele, a única de todo o campeonato.

Leia também: Festival ecológico de surfe em Santa Catarina terá 'banheiros de bolso'

Mesmo assim, Medina correu atrás e foi em várias ondas também arriscando os aéreos, mas a cada aproximação, o australiano respondia aumentando a vantagem. A maior nota que o brasileiro conseguiu foi 7,77 e Julian deu o troco com 6,67 para ganhar a segunda vaga na final por 16,67 a 15,44 pontos.

Na decisão do título, Ryan Callinan largou na frente com 6,83 e Julian Wilson respondeu com 6,67. A bateria chegou a ser paralisada devido à forte neblina que impedia uma boa visualização dos juízes, mas logo retornou com Callinan aumentando a vantagem com uma nota 7,40 em sua melhor onda na final.

Julian seguia arriscando o aéreo reverse que lhe deu uma nota 10 nas semifinais, falhou em algumas tentativas, mas, de tanto tentar, acertou um que valeu 8,67 para confirmar sua segunda vitória no ano por 15,34 a 14,23 pontos.

Com o título na etapa da França, Julian Wilson atingiu 47.125 pontos no ranking, ficando a 4.645 pontos dos 51.770 do novo líder, Gabriel Medina, com Filipe Toledo caindo para o segundo lugar com 51.450. Os três vão brigar pelo título mundial nas duas últimas etapas da temporada e pela lycra amarela.

Leia também: Surfista de ondas gigantes é encontrado morto no México em 'caso misterioso'

A batalha entre Gabriel Medina e Filipe será fase a fase nas ondas de Supertubos, em Peniche, enquanto Julian Wilson só ultrapassa a pontuação atual do líder se chegar nas semifinais. Lembrando que, assim como na França, Medina vai defender o título de campeão na etapa portuguesa, conquistado na final do ano passado com o próprio Julian Wilson.

    Leia tudo sobre: surfe
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.