Tamanho do texto

Surfista de Ubatuba venceu australiano na final e agora é líder do ranking do circuito mundial de surfe

Filipe Toledo comemora segundo título consecutivo em J-Bay
WSL/ Kelly Cestari
Filipe Toledo comemora segundo título consecutivo em J-Bay

Pela segunda vez consecutiva, Filipe Toledo subiu no lugar mais alto do pódio em Jeffreys Bay, a sexta etapa do circuito mundial de surfe . Com a vitória em cima do australiano Wade Carmichael na grande final, o brasileiro agora lidera o ranking da elite do esporte.

Leia também: Joel Parkinson anuncia aposentadoria após 18 anos na elite do surfe

“Vitórias consecutivas são sempre algo que eu sonhei”, disse Toledo. “Não poderia ser mais especial aqui em J-Bay depois do ano passado e este ano novamente tivemos ondas tão boas. Graças a Deus. Obrigado, Jesus. Obrigado à minha família e a todos que me apoiam. Eu me sinto muito abençoado agora por tudo que vem acontecendo comigo esse ano”, disse Filipe Toledo , que veio chamando a atenção durante todo o evento. Das dez maiores notas do Corona Open J-Bay, cinco delas pertenciam ao atleta de 23 anos de idade.

Leia também: WSL e ISA firmam acordo para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

A grande final

Filipe Toledo é campeão em J-Bay 2018
WSL/ Cestari
Filipe Toledo é campeão em J-Bay 2018

A decisão do título começou com Wade Carmichael completando a primeira onda da bateria, mas logo Filipinho respondeu iniciando seu ataque com uma rasgada 360 animal, ainda faz mais duas manobras fortes, acelera para entrar num tubo e na saída erra a finalização na junção. Mesmo assim, o brasileiro larga na frente com nota 8,50 contra 7,33 do australiano. Na segunda onda que eles surfaram, Wade foi melhor e ganhou 8,00 contra 6,93 do Filipe, que continuava em primeiro com 7,44 pontos de vantagem.

Filipe pega a terceira onda primeiro, mas não consegue aumentar seu placar e a prioridade de escolher a próxima fica para o australiano. Enquanto Wade aguarda, o brasileiro fica pegando as ondas que ele deixa passar e acha uma que abre uma longa parede para ele novamente apresentar seu arsenal de manobras modernas e progressivas para ganhar 8,30 dos juízes, com Carmichael passando a precisar de 8,80 para vencer nos 5 minutos finais.

Leia também: Maya Gabeira pode se tornar a primeira surfista no Guinness Book: "Expectativa"

O tempo vai passando, ele segue no outside esperando por uma onda maior e só pega uma no minuto final, mas erra a primeira manobra. Filipe entra na de trás, erra também a primeira manobra e a prioridade volta para o australiano, que ainda acha outra onda nos últimos segundos, sai fazendo manobras, acerta dois floaters, tenta o aéreo, não completa e o bicampeonato de Filipe Toledo no Corona Open J-Bay foi confirmado por 16,80 a 15,33 pontos.

“Quando chega o dia final, pra mim é tudo ou nada e eu arrisco mesmo as manobras para tirar notas mais altas”, disse Filipe Toledo , que nunca perdeu uma decisão de título nas sete finais que disputou em etapas do CT. “Essa é sempre a minha estratégia: vá em frente ou volte pra casa. As finais são aquelas baterias em que você ou é primeiro ou segundo, não há perdedores, por isso eu vou com tudo e tento fazer tudo o que sei nas ondas. Esse é sempre o meu foco, pois é para isso que eu treino bastante antes dos campeonatos”.

    Leia tudo sobre: surfe