Tamanho do texto

A Malásia, que é aliada política da Palestina, vetou a participação de atletas israelenses no Mundial desse ano. O ato provocou reação de Israel

Atletas israelenses são proibidos em entrar na Malásia para competir no Mundial Paralímpico
Reprodução
Atletas israelenses são proibidos em entrar na Malásia para competir no Mundial Paralímpico

Para algumas pessoas, esporte e política não se misturam, porém eles estão mais conectados do que se imagina. Nesta quinta-feira (17), o Ministério das Relações Exteriores de Israel condenou a decisão da Malásia de banir atletas israelenses de todos os eventos esportivos internacionais realizados no país.

Leia também:  Laís Souza comemora evolução em vídeo e agradece apoio de Neymar Jr.

Os dois países não mantêm um bom relacionamento e a crise entre eles aumentou na última semana, quando Kuala Lumpur, capital da Malásia, vetou a entrega dos vistos para os atletas israelenses que disputariam o Mundial Paralímpico de Natação, na cidade de Kuching.

Organizado a cada dois anos, o Mundial Paralímpico de Natação está marcado para 29 de julho a 4 de agosto. A última edição do evento foi realizada na Cidade do México, em dezembro de 2017.

"Nós mantemos a nossa proibição. Se eles vierem à competição, estarão cometendo uma grave violação. Se o IPC [Comitê Paralímpico Internacional] não entender a posição do nosso país, nós compreendemos a troca de sede da Malásia por outro local", disse o primeiro-ministro Mahathir Mohamad.

Leia também:  Time afiliado de San Antonio Spurs vem ao Brasil para Copa Intercontinental

Ainda segundo o Premier, permitir que os israelenses entrem em território malaio seria um "desrespeito às tradições" da Malásia , localizada no sudeste asiático.

O Ministério das Relações Exteriores israelense, chefiado interinamente pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, afirmou que a proibição é uma "vergonha inspirada pelo antissemitismo de Matahir".

"Uma decisão vergonhosa, contrária ao espírito olímpico e indubitavelmente inspirada pelo antissemitismo fanático do primeiro-ministro Matahir", disse Israel.

Não é a primeira vez que o Mundial Paralímpico de Natação tem problemas. Em 2017, o evento estava marcado inicialmente para setembro, mas foi adiado para dezembro por conta de um terremoto de magnitude 7,1 que atingiu a Cidade do México.

Leia também:  Gabriel Medina e Maya Gabeira são nomeados para 'Oscar do Esporte'

O Comitê Paralímpico Internacional lamentou o ocorrido e afirmou que irá "buscar um diálogo". No entanto a entidade já recebeu ofertas de alguns países que desejam organizar o torneio, caso o Mundial troque de sede por causa do problema com os atletas .