Tamanho do texto

Etiene Medeiros, Daiene Dias e Felipe Lima subiram ao pódio no último dia de provas e colocaram o Brasil na nona colocação do quadro de medalhas

O Brasil encerrou sua participação no Mundial de Natação em piscina curta de Hangzhou, na China, neste domingo, com mais três medalhas, chegando a oito no total. Etiene
Medeiros, nos 50m livre, Daiene Dias, 100m borboleta, e Felipe Lima, 50m peito, conquistaram medalhas de bronze.

Leia também: Histórico! Aos 38 anos, Nicholas Santos conquista ouro no Mundial de Hangzhou

Etiene Medeiros com sua medalha de bronze conquistada no Campeonato Mundial de Natação em piscina curta de Hangzhou, na China
Satiro Sodré/SSpress/CBDA
Etiene Medeiros com sua medalha de bronze conquistada no Campeonato Mundial de Natação em piscina curta de Hangzhou, na China

Nos outros dias de competição do Mundial de Natação , o Brasil ficou com o bronze com o revezamento 4x100m livre masculino, ouro com o revezamento 4x200m livre masculino, ouro
com Nicholas Santos nos 500m borboleta, bronze com Brandonn Almeida nos 400m medley e bronze com o revezamento 4x50m medley masculino.

Primeira mulher a conquistar ouro em Mundiais, seja em piscina longa ou curta, Etiene Medeiros é especialista em provas do nado costas e desta vez, na China, conseguiu a inédita medalha no nado livre. Logo após deixar a água, ela falou sobre a conquista.

"Desculpa, galera. Mas não tem como esquecer essa prova (50m costas). Eu sei do meu potencial dos 50m livre, é nato isso. É uma prova que deu final olímpica. Fui hoje com a cara
e a coragem. É gratificante o esporte porque consegui superar um obstáculo muito difícil para mim. Tem um propósito das coisas acontecerem. Sempre tem um por quê", afirmou ao
canal Sportv .

"Mais uma vez essa prova mostrando que tenho potencial de estar em 2020 e brigar por uma medalha. Estou muito feliz. Última prova individual aqui da competição, é muito difícil
manter o nível de concentração, não é fácil estar aqui. Isso é o esporte, o brilho do esporte. Obrigada pelo apoio", acrescentou.

Etiene conquistou o bronze com a marca de 23s76. À frente dela ficaram as holandesas Ranomi Kronmowidjojo (23s19) e Femke Heemskerk (23s67).

Leia também: Brasil conquista ouro no 4x200 livre e bate recorde no Mundial de Hangzhou

Daiene Dias parecia não acreditar quando terminou a prova na terceira colocação e garantiu o bronze
Satiro Sodré/SSpress/CBDA
Daiene Dias parecia não acreditar quando terminou a prova na terceira colocação e garantiu o bronze

Já a companheira de quarto de de Etiene, Daiene Dias, de 29 anos, com o tempo de 56s31, ficou atrás somente das norte-americanas Kelsi Dahlia (55s01) e Kendyl Stewart (56s22),
conquistando a inédita medalha de bronze nos 100m borboleta.

Foi a primeira medalha feminina na competição, já que Daiene Dias caiu na água antes de Etiene. “Com certeza foi uma surpresa. Vim para cá querendo estar em uma final, mas, quando se tem uma raia, se tem uma chance. Fui atrás da minha e consegui. É uma grande vitória para a Natação feminina do Brasil”, afirmou ao site oficial da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

E logo depois de Daiene, quem também medalhou foi Felipe Lima, de 33 anos. Após conseguir a última vaga para a final dos 50m peito, ele surpreendeu e ficou na terceira colocação
com o tempo de 25s80.

Felipe Lima ficou em terceiro nos 50m peito
Satiro Sodré/SSpress/CBDA
Felipe Lima ficou em terceiro nos 50m peito

"Ontem, o meu objetivo era conseguir entrar na final e deu certo na raia 8, quase fiquei fora. Hoje vim para dar meu máximo e obtive minha melhor marca da vida. Estou muito
feliz por conseguir essa medalha individual", disse Felipe Lima também ao site oficial da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

Leia também: Brasil é bronze no Mundial de Natação e Cesar Cielo bate recorde de medalhas

Desta forma, o Brasil terminou na nona colocação do quadro de medalhas do Mundial de Natação em piscina curta com dois ouros e seis bronzes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas