Tamanho do texto

Ariana Kukors foi abusada sexualmente por seu treinador, Sean Hutchison, quando tinha 16 anos de idade

Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe dos Estados Unidos
Reprodução
Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe dos Estados Unidos

Ariana Kukors é ex-nadadora da equipe nacional dos Estados Unidos. Iniciou sua carreira na natação ainda quando criança e em 2009, foi campeã mundial dos 200 metros medley. Hoje, aos 28 anos de idade, ela acusou um ex-treinador da delegação norte-americana de abuso sexual, que teve início quando ela tiha 16.

LEIA TAMBÉM: "Já pensei, sim, em suicídio", revela multicampeão olímpico Michael Phelps

Segundo a ex-nadadora olímpica, que representou seu país nos Jogos de Londres 2012, tudo começou quando ela tinha 13 anos. Ela relata que Sean Hutchison, o então técnico da equipe nacional de natação dos EUA, começou a "prepará-la" para uma relação sexual. "Eu percebi que histórias como a minha são muito importantes para serem esquecidas”, afirmou Kukors em um comunicado.

Após a denúncia, o Departamento de Segurança Nacional dos EUA emitiu um mandato de busca na casa de Hutchison, em Seattle. O clube de natação que pertence ao treinador, o King Aquatic Club, informou em nota que a notícia "dilacerou nossos corações". A nadadora relatou que o primeiro contato com o treinador aconteceu naquele clube, onde passou a treinar sob as orientação dele.

LEIA TAMBÉM: Musa da natação faz tatuagem no bumbum; veja como ficou

"Nunca pensei em compartilhar minha história porque, de muitas maneiras, apenas sobreviver foi o suficiente", disse Ariana Kukors . "Que outras meninas e meninos não passem pela mesma dor, trauma, horror e abuso. Que os seus pais, mentores e responsáveis sejam capazes de detectar os sinais de abuso e perceber suas trágicas consequências antes que seja tarde demais".

LEIA TAMBÉM: É possível caminhar sobre as águas? Meninas do nado sincronizado mostram que sim

Denúncias nos esportes

Ariana faz parte de um grupo de mulheres que denunciou superiores às autoridades olímpicas dos Estados Unidos. O caso de maior repercussão até agora é o do ex-médico da seleção de ginástica, Larry Nassar. Ele cometeu abuso sexual em centenas de meninas e mulheres e se declarou culpado. Além disso, as vítimas criticam as autoridades por terem fechado os olhos diante dos acontecimentos e a lentidão na qual tratam do assunto.

"Assim como o Comitê Olímpico dos EUA sabia sobre Larry Nassar antes de sua prisão e não fez nada, a equipe de natação dos EUA havia notado em 2010 que Sean Hutchison estava envolvido em uma relação inapropriada técnico-atleta com Ariana e não tomou medidas para protegê-la ou proteger outras nadadoras”, afirmou o advogado da ex-nadadora, Robert Allard.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas