Tamanho do texto

Luta entre o brasileiro e o neozelandês foi confirmada para fevereiro de 2019 e uma vitória pode valer a disputa do cinturão dos médios do UFC

Anderson Silva voltará ao octógono do Ultimate Fighting Championship no dia 9 de fevereiro do ano que vem, na Rod Laver Arena, em Melbourne, para enfrentar o neozelandês Israel Adesanya pelo card do UFC 234, e, se vencer, já terá a chance de lutar pelo cinturão da categoria.

Leia também: Série de TV com produção do UFC mostra introdução das mulheres no MMA

Se vencer Israel Adesanya, Anderson Silva revela que lutará pelo cinturão do UFC
Divulgação
Se vencer Israel Adesanya, Anderson Silva revela que lutará pelo cinturão do UFC

“Eu perguntei ao Dana: ‘O que eu vou ganhar com essa luta?’. E ele me respondeu: ‘Se você vencer, vai lutar pelo cinturão’”, disse Anderson Silva à ESPN dos Estados Unidos. “É um grande desafio para mim. Israel é um cara jovem e o futuro do esporte. Todos estão falando do Israel. Acho que é essa a melhor luta do esporte”, acrescentou.

Ex-campeão dos médios no UFC, Spider não luta desde fevereiro de 2017, quando venceu por decisão unânime o norte-americano Derek Brunson. Já seu adversário, que nasceu na Nigéria, tem um cartel perfeito com 15 vitórias no MMA, sendo 13 delas por nocaute.

Leia também: Lutador de wrestling é atingido por bloco de concreto durante luta no México

Quem vencer entre o brasileiro e o neozelandês irá enfrentar o triunfante da luta principal do UFC 234, que será entre o atual campeão dos médios, Roberto Whittaker, e Kelvin Gastelum.

O experiente brasileiro de 43 anos também falou sobre um possível duelo contra o irlandês Conor McGregor , que é muito desejado pelos fãs do UFC . Ele demonstrou interesse, mesmo com a diferença de peso dos dois.

“Em princípio, falei com o Dana sobre uma luta com o McGregor, porque ele me desafiou. Talvez essa seja minha segunda luta depois do retorno. Veremos”, ponderou e aproveitou para alfinetar Georges St. Pierre.

Leia também: Lucas Mineiro vai da roça ao topo e vira número 2 no mundo

“É uma luta interessante, mas o Georges nunca aceitou o desafio. Ele só corre, corre e corre. É uma loucura. Não acho que ele queira a luta, mas tudo bem. Eu o respeito. Ele é um grande lutador. Talvez só tenha uma visão diferente, de aceitar as lutas fáceis. Eu não sou assim. Eu gosto dos grandes desafios na minha vida", finalizou Anderson Silva .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.