Tamanho do texto

Lutador disputa título linear pelo Brave 18 na próxima sexta-feira (16), e fala ao iG Esporte sobre sua luta desde o começo da carreira até o topo; confira

Há exatamente um ano, Lucas Minero anunciava sua desistência da luta do Brave um dia antes do combate contra Elias Boudegzdame pelo título peso-pena (até 66kg) do evento por passar mal no processo de corte de peso. A decisão veio para poder preservar sua saúde. De lá para cá, o lutador de MMA não abaixou a cabeça e, cinco meses depois, conquistou o título interino, mas dessa vez na categoria peso-leve (até 70kg).

Leia também: Multi-campeão no UFC, Lucas Mineiro visita projeto de inclusão pelo esporte

Lucas Mineiro luatará no Brave18 pela título linear
Divulgação
Lucas Mineiro luatará no Brave18 pela título linear

“Sempre lutei no peso pena, já tenho 30 lutas nesta categoria. Foi um pouco frustrante pra mim, mas já passou, agora estou tranquilo porque fui campeão da categoria de cima e agora penso em descer de categoria e lutar novamente pelo cinturão peso pena, que eu não lutei”, contou Lucas Mineiro em entrevista exclusiva ao iG Esporte.

O lutador disse que escolheu tirar um tempo para pensar depois dessa luta, mas logo em seguida já veio a nova proposta do evento para lutar na categoria de cima. “Eu aceitei de prontidão. Foi como eu falei, para mim foi só uma fase, agora eu sou número 2 do Brasil, estou tranquilo em relação a isso, vou voltar a defender meu cinturão se Deus quiser”, explicou.

Leia também: Lucas Mineiro diz que luta pelo título do Brave deve ser no Brasil

Voltar a lutar no pena não é algo fora dos planos de Lucas, que, dependendo da proposta evento, aceita voltar para o peso pena, sua categoria de origem.

No próximo dia 16 de novembro, sexta-feira, Lucas estará de volta e, dessa vez, para disputar o o título linear da categoria na luta principal do Brave 18, em Iza Town, no Bahrein. O brasileiro enfrentará Al-Selwady, que está invicto na organização com quatro vitórias em quatro lutas.

Lucas Mineiro se prepara para luta no Brave 18
Divulgação/Brave 18
Lucas Mineiro se prepara para luta no Brave 18


Na preparação para o combate, o atleta realiza nada mais, nada menos do que quatro treinos por dia. “Intercalo meus treinos dando aula e puxando os treinos para meus alunos”, explica ele. Poucos dias antes da luta, Lucas está na dieta para cortar o peso. “Estou lutando na categoria de cima o que fica mais tranquilo, porém em reta final, ajustamos a alimentação para bater o peso tranquilo”.

O que também não pode faltar nos treinos do lutador, mesmo quando não está de luta marcada, é a música sertaneja. O motivo? “Sou mineiro, então o sertanejo está no sangue”, comenta. “Sempre gostei e nas minhas lutas eu entro com música sertaneja. Essa próxima luta vocês podem esperar a música sertaneja também, patrocinado pela minha aluna, filha do Matogrosso e Mathias. O sertanejo me faz lembrar minhas origens, me sinto muito confortável em treinar com esse estilo de música”, pontua.

Lucas Mineiro: da luta na roça ao topo

Lucas Mineiro começou a treinar aos 22 anos, quando se mudou para São Paulo
Divulgação
Lucas Mineiro começou a treinar aos 22 anos, quando se mudou para São Paulo


Hoje com 30 anos, Lucas deu o ponta pé inicial de sua carreira aos 22 anos, quando se mudou para São Paulo. Até então ele morava no interior de Minas Gerais. “Eu morava em Montes Claros, uma vida pacata e tranquila”, relembra. “Deus sabe de tudo, fez eu vir para São Paulo, comecei a treinar Muay Thai onde tudo mudou e a minha vida mudou”, completa.

Um ano depois de ter mudado para São Paulo, o lutador entrou para o maior evento de luta do mundo, o UFC. “Foi importante, mudou minha vida, da minha família, consegui fazer história no evento, lutando em três categorias diferentes. Conquistei as 3”. Conta ele. Além disso, o atleta saiu do evento após ganhar bônus e muitos acharam que Lucas foi injustiçado.

Agora ele tem uma vida “concreta” e, além de atleta, também é um empresário. “Hoje em dia, se o UFC me der uma proposta maior do que eu recebo no Brave, eu poderia parar para pensar. Pelo fato da Rebook estar dentro do evento, eu tenho muitos patrocinadores que levo comigo, sou um dos maiores patrocinados do Brasil, o que trás uma boa renda mensalmente. Então não poderia deixar isso passar por conta do sonho de UFC. Já fiz muita coisa, minha trajetória lá, e não é uma meta de vida voltar e sim colocar os meus alunos, meus atletas lá”, completa.

Ao lado de Caio Franco, seu cunhado, e Alexandre Correa, marido Ana Hickmann, Lucas é dono da Capital da Luta, uma academia que se tornou referência em lutas e treinamentos funcionais. Lá, eles dão aulas para várias celebridades. “Sempre puxo uma manopla, algum treino de Muay Thai para eles. É gratificante receber tantos o pessoal da mídia quanto meus alunos. Ver evolução de todos eles, que não sabia dar um soco e hoje é apaixonado pelas artes marciais. É bem gratificante ser reconhecido por todos eles”.

Leia também: Ex-cortador de cana larga vida pacata no interior e vira promessa do UFC

Com uma vida praticamente realizada profissionalmente falando, Lucas diz que seu objetivo no MMA já foi conquistado, que era estar no UFC. “Foi ter uma grande família, mudar a vida da minha família através da luta, ter uma academia, ter os alunos que estão ao meu lado, servir de inspiração para grandes pessoas”, disse ele, que completou. “Hoje em dia no MMA, meu sonho é fazer com que meus alunos, atletas cheguem mais longe do que eu já cheguei e conquistarem muitas coisas”, finalizou Lucas Mineiro .

    Leia tudo sobre: Luta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.