Tamanho do texto

Ex-jogador acredita que a seleção do 'quadrado mágico' podia "ter feito um pouquinho mais"; ele também falou sobre sua maior conquista na carreira

Kaká concedeu entrevista ao programa "Grande Círculo", do SporTV , que irá ao ar neste sábado, mas que teve trecho compartilhado pela emissora. Nele, o ex-meia falou sobre a péssima campanha na Copa do Mundo de 2006, a maior conquista de sua carreira e o fato de ter sido eleito melhor jogador do mundo em 2007.

Leia também: Jogador inglês pega nove meses de prisão por agredir enfermeira; veja vídeo

Kaká fez parte do grupo da Copa de 2006 que fracassou e foi eliminado precocemente
CBF/Divulgação
Kaká fez parte do grupo da Copa de 2006 que fracassou e foi eliminado precocemente

Com um ataque formado por Adriano, o próprio Kaká , Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo Fenômeno, conhecido como 'quadrado mágico', a seleção chegou à Copa de 2006 como uma das favoritas, mas fracassou ao ser eliminada pela França nas quartas de final. Para o ex-jogador, o ambiente foi um dos principais responsáveis pela queda precoce naquele Mundial.

"Acho que aquela seleção podia ter feito um pouquinho mais. Acho que faltou um pouquinho, no momento pode ter faltado alguém que falasse. O difícil nessa situação específica é quando você está dentro da situação, naquele exato momento, enxergar realmente que está toda essa bagunça. Hoje, com anos na frente, a gente consegue analisar. Na hora, lá dentro, fica mais difícil", afirmou.

Leia também: Ministro italiano compara racismo contra Koulibaly com "brincadeiras saudáveis"

Mas se a Copa de 2006 , na Alemanha, a seleção deixou a desejar, na anterior, do Japão e da Coreia, os comandados de Felipão conquistaram o título e o ex-são-paulino guarda grandes lembranças do Mundial de 2002, mesmo com apenas 23 minutos jogados.

"Copa do Mundo de 2002 [minha maior conquista]. Mesmo tendo jogado só 23 minutos contra a Costa Rica. Até brinco que é o número da minha camisa naquela Copa. A conquista da Copa é muito grande, é muito legal. Se eu pudesse escolher, seria esse título", acrecentou.

Após conquistar a Liga dos Campeões da temporada 2006/2007 com o Milan e sendo um dos protagonistas, o brasileiro foi eleito o melhor jogador do mundo de 2007. Para ele, no entanto, o prêmio veio pelo seu esforço e não pelo talento, diferentemente de outros vencedores.

Leia também: Dudu, Romero e Lucas Lima concorrem ao gol mais bonito da Libertadores 2018

"Dos cinco brasileiros que foram os melhores do mundo, provavelmente eu não sou o mais talentoso de todos eles. Agora, provavelmente eu seja o mais profissional de todos eles. Só no talento eu não ia resolver, como alguns resolvem. Eu entendi que precisava correr mais do que esses caras", finalizou Kaká .

    Leia tudo sobre: futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.