Tamanho do texto

Para o técnico, seleção conseguiu manter a posse de bola e teve mais chances que o Uruguai. Próximo compromisso de Tite será contra Camarões, na terça

Tite comanda o time no jogo da seleção contra o Uruguai
Pedro Martins / MoWA Press
Tite comanda o time no jogo da seleção contra o Uruguai

Logo depois do jogo da seleção, ontem à noite, o técnico Tite concedeu entrevista coletiva no Emirates Stadium, em Londres, e comentou sobre a vitória de 1 a 0 sobre a seleção do Uruguai . Para ele o time conseguiu manter a posse de bola, mas ainda teve dificuldades em controlar o adversário.

“No primeiro tempo, o Uruguai dificultou. Mas fomos colocando volume e, tirando duas saídas de bola erradas nossas, a equipe teve consistência, mesmo bastante modificada”, disse o treinador. Em relação ao último jogo da seleção brasileira, contra a Argentina, a equipe teve três alterações na escalação.

Contundido, Casemiro foi cortado na lista para os amistosos de novembro e substituído na partida de ontem por Wallace. No meio campo, Renato Augusto entrou no lugar do também lesionado Coutinho e Douglas Costa começou o jogo na vaga de Gabriel Jesus, que estava no banco.

Assim que a partida terminou, os comentários nas redes sociais destacaram que, apesar da vitória, a seleção brasileira não tem convencido com o futebol apresentado. No período pós Copa do Mundo da Rússia, o Brasil não levou nenhum gol e venceu os cinco jogos que disputou contra Estados Unidos, El Salvador, Arábia Saudita, Argentina e agora Uruguai.

“Fizemos 31 jogos e marcamos gols em 28 deles. A gente cria oportunidades e são 24 partidas sem tomar gol. A ideia é encontrar o ponto de equilíbrio”, destacou o técnico. Desde que Tite chegou ao comando da equipe, a seleção perdeu apenas duas vezes.

Os números foram a tônica da entrevista. O técnico também comentou sobre os 600 passes trocados no jogo e as 12 finalizações dos atletas do Brasil contra a meta do goleiro Campanã.

Leia também:  Real Madrid apressa chegada de Neymar para janeiro, diz mídia espanhola

“A nossa posse de bola, a nossa triangulação, a nossa infiltração, o nosso volume, a nossa jogada no chão(...). Pelo que a equipe fez em todo foi merecedor. Pelos 600 passes, por dominar o adversário e controlá-lo. É difícil controlar o Uruguai, pela bola efetiva e aguda deles”, explicou.

Neymar marcou o único gol do amistoso contra o Uruguai
Pedro Martins / MoWA Press
Neymar marcou o único gol do amistoso contra o Uruguai

As mudanças durante o jogo da seleção agradaram ao treinador . Allan e Richarlison, que entraram nos lugares de Renato Augusto e Douglas Costa, respectivamente, ganharam elogios do professor.

“Oportunidades surgem, se o atleta tem um grande desempenho, começa a ganhar espaço. É uma concorrência leal. Independentemente da idade, do momento nas equipes”, disse.

Tite sempre priorizou o desempenho dos atletas e disse que ‘quando tem um jogador que não está produzindo bem, terá outro para jogar’, exaltando as opções que tem no banco de reservas.

Leia também:  Criador da camisa amarela da seleção brasileira morre aos 83 anos de idade

O próximo jogo da seleção brasileira será contra Camarões, também na Inglaterra, as 17h30 de terça-feira (20), no Stadium MK.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.