Tamanho do texto

Cabine do avião que caiu estava cheia de monóxido de carbono, podendo ter causado inconsciência ou convulsões no piloto

Emiliano Sala morreu após o avião onde estava cair no Canal da Mancha no dia 21 de janeiro de 2019 arrow-options
Divulgação
Emiliano Sala morreu após o avião onde estava cair no Canal da Mancha no dia 21 de janeiro de 2019

O argentino Emiliano Sala, de 28 anos de idade, que morreu em janeiro deste ano após a queda do avião que o levava da França para o País de Gales, foi exposto e "elevados níveis de monóxido de carbono ", segundo revelou um relatório da Agência de Investigação de Acidentes Aéreos.

Leia também: Caso Emiliano Sala: homem é detido por suspeita de homicídio culposo

De acordo com os dados divulgados pela rede britânica BBC, antes do acidente fatal com Emiliano Sala no dia 21 de janeiro, a cabine da aeronave estava cheia deste gás tóxico.

O atleta e o piloto David Ibbotson morreram na queda do avião. O corpo de Ibbotson nunca foi encontrado, mas, de acordo com o mesmo relatório, é "bastante provável" que apresente os mesmos níveis de monóxido de carbono.

Leia também: Pai do atacante Emiliano Sala morre três meses após morte do jogador

O que isso significa? Que o avião pode ter apresentado algum problema e liberado o gás. E que isso poderia ter causado convulsão, inconsciência ou até mesmo ataque cardíaco no piloto - e também em Sala -, fazendo com que o acidente fosse inevitável.

Destroços do avião de Emiliano Sala arrow-options
AAIB / Reprodução
Destroços do avião de Emiliano Sala

Leia também: Nantes entra com recurso na Fifa para cobrar dinheiro de transferência de Sala

A autópsia realizada no corpo de Emiliano Sala confirmou que ele morreu devido a "lesões na cabeça e no tronco". O jogador estava no Nantes, da França, e viajava para o País de Gales, onde seria confirmado como reforço do Cardiff City.