Tamanho do texto

Thomas Tuchel manteve postura cautelosa ao ser perguntado sobre a lesão do brasileiro, mas não escondeu sua frustração: "Nos faz muita falta"

O treinador do Paris Saint-Germain, Thomas Tuchel, falou neste sábado sobre a lesão no quinto metatarso do pé direito que fez Neymar sair mais cedo de campo na última semana. O alemão preferiu não falar sobre o tempo de tratamento, mas disse acreditar que em breve o problema será detalhado.

Leia também: Adversário critica Neymar: "Quando quer jogar assim, não reclame se apanha"

Thomas Tuchel, técnico do PSG, preferiu não dar um prazo para retorno de Neymar
Divulgação/PSG
Thomas Tuchel, técnico do PSG, preferiu não dar um prazo para retorno de Neymar

"O clube comunicou a lesão e não posso dizer mais nada. Ele começou a se tratar essa semana e o tempo dele depende da evolução. Ainda é muito cedo para dizer o que vai se fazer. Tudo é possível. Imagino que na próxima semana a gente possa detalhar mais. Vamos acompanhar os desenvolvimentos", disse Tuchel sobre Neymar .

No comunicado divulgado pelo PSG logo após a lesão, o clube afirmou que o brasileiro sofreu "reativação dolorosa da lesão no quinto metatarso", além de, assim como fez o técnico, deixou em aberto qualquer possível tratamento.

Leia também: Neymar rebate críticas de Pelé: "Eu não fiz teatro durante a Copa do Mundo"

A intenção do clube parisiense é definir o que será feito até o final da semana. O departamento médico trabalha com a chance de melhora da lesão já nas próximas horas, mas as dores que o camisa 10 tem sentido preocupam. No ano passado, o craque ficou fora dos gramados por cerca de 80 dias após operar por conta da mesma lesão.

"Neymar está triste, e eu estou triste. Isso é claro. Jogador de qualidade enorme, extraordinário. Nos faz muita falta e é difícil encontrar uma solução sem ele", acrescentou o treinador de 45 anos.

Quem também falou sobre o assunto em entrevista coletiva foi o zagueiro brasileiro Thiago Silva . Ele contou que o companheiro está triste e reiterou a opinião de que os árbitros precisam proteger os jogadores.

"Ele está triste. Como na temporada passada começou bem e justo no momento mais importante se lesionou. Mas nós procuramos falar de outras coisas, dar risada, pois é um momento complicado", afirmou o defensor.

"Estou muito triste e com a certeza que os árbitros poderiam evitar. Lesionar é algo normal, mas se o árbitro evita ele de tomar a pancada seria algo simples. O árbitro tem que proteger o jogador que faz isso, dribla, tem esse estilo. Eu não compreendo a arbitragem aqui", completou.

Leia também: PSG faz treino aberto no Catar para 6 mil pessoas e Neymar é ovacionado

Além dos compromissos no Campeonato Francês, o PSG irá enfrentar o Manchester United, dia 12 de fevereiro, pela primeira partida das oitavas de final da Liga dos Campeões e um tratamento mais longo pode tirar Neymar da decisão, assim como aconteceu na temporada passada.

    Leia tudo sobre: futebol