Morreu na manhã desta sexta-feira (25), em um hospital de Turim, Maria Amato, mulher de 65 anos que havia ficado tetraplégica após ter sido pisoteada em uma concentração da torcida da Juventus em 3 de junho de 2017.

Leia também: Cobiçado pelo PSG, brasileiro Allan ficará no Napoli, garante Ancelotti

undefined
Divulgação
Torcedores da Juventus pisotearam uma mulher em 2017

Ela foi pisoteada durante uma confusão na concentração que a torcida da Juventus fazia na praça San Carlo, centro de Turim, para assistir à final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid.

Amato estava internada havia dois dias na UTI do hospital CTO devido a problemas respiratórios e expressara o desejo de que o tratamento não incluísse medidas invasivas, como intubação endotraqueal ou traqueostomia.

Leia também: Na zona de rebaixamento na Ligue 1, Thierry Henry é afastado do Mônaco

Às 8h da manhã, a paciente sofreu uma brusca piora cardiovascular e acabou falecendo. Em uma mensagem postada no Facebook há seis meses, Amato relatara um "longo período de sofrimento físico e mental" e a vontade de "voltar à vida normal".

O Ministério Público diz que o tumulto foi causado por uma quadrilha de jovens que lançara spray de pimenta para realizar assaltos.

Leia também: Polícia encerra buscas de avião desaparecido que transportava Emiliano Sala

Na correria, a multidão de torcedores da  Juventus derrubou as grades que cercavam a entrada de um estacionamento subterrâneo e gerou um falso alarme de bomba. Centenas de pessoas foram pisoteadas, e uma torcedora, Erika Pioletti, 38 anos, acabou morrendo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários