Tamanho do texto

Maria Amato ficou tetraplégica na tragédia em Turim e após permanecer dois dias internada na UTI por problemas respiratórios, ela não resistiu

Morreu na manhã desta sexta-feira (25), em um hospital de Turim, Maria Amato, mulher de 65 anos que havia ficado tetraplégica após ter sido pisoteada em uma concentração da torcida da Juventus em 3 de junho de 2017.

Leia também: Cobiçado pelo PSG, brasileiro Allan ficará no Napoli, garante Ancelotti

Torcedores da Juventus pisotearam uma mulher em 2017
Divulgação
Torcedores da Juventus pisotearam uma mulher em 2017

Ela foi pisoteada durante uma confusão na concentração que a torcida da Juventus fazia na praça San Carlo, centro de Turim, para assistir à final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid.

Amato estava internada havia dois dias na UTI do hospital CTO devido a problemas respiratórios e expressara o desejo de que o tratamento não incluísse medidas invasivas, como intubação endotraqueal ou traqueostomia.

Leia também: Na zona de rebaixamento na Ligue 1, Thierry Henry é afastado do Mônaco

Às 8h da manhã, a paciente sofreu uma brusca piora cardiovascular e acabou falecendo. Em uma mensagem postada no Facebook há seis meses, Amato relatara um "longo período de sofrimento físico e mental" e a vontade de "voltar à vida normal".

O Ministério Público diz que o tumulto foi causado por uma quadrilha de jovens que lançara spray de pimenta para realizar assaltos.

Leia também: Polícia encerra buscas de avião desaparecido que transportava Emiliano Sala

Na correria, a multidão de torcedores da  Juventus derrubou as grades que cercavam a entrada de um estacionamento subterrâneo e gerou um falso alarme de bomba. Centenas de pessoas foram pisoteadas, e uma torcedora, Erika Pioletti, 38 anos, acabou morrendo.