Tamanho do texto

Treinador que completa 48 anos nesta sexta-feira afirmou que a prática de espionar os adversários é cultural entre os países europeus: “Em outros países todo mundo faz isso”

Pep Guardiola defende Bielsa de polêmica de espionagem
Reprodução/Twitter/ManCity
Pep Guardiola defende Bielsa de polêmica de espionagem

A semana esportiva na Inglaterra ficou marcada pelo caso de espionagem na segunda divisão, envolvendo o técnico Marcelo Bielsa, do Leeds United, que enviou um homem para acompanhar os treinos do Derby County. Nesta sexta-feira, durante entrevista coletiva, o técnico do Manchester City, Pep Guardiola, foi perguntado sobre o caso e confessou ser uma prática comum na Europa.

Leia também:  "Espionei todos os times que enfrentei", afirma Marcelo Bielsa após polêmica

“Nos países em que trabalhei, todos fazem isso. É mais difícil aqui, mas em outros países todo mundo faz isso”, afirmou Pep Guardiola , que passou pelo Barcelona e Bayern de Munique antes de chegar ao City. “Quando eu estava no Bayern de Munique, sempre tinha alguém nas montanhas com uma câmera. Os adversários observavam o que fazíamos. Todos faziam”, acrescentou o treinador.

Mesmo com a polêmica, o técnico dos Citizens disse que mantém sua opinião sobre Bielsa. “Admiro tudo o que fez no passado, então não vejo porque mudar de opinião. Mas também compreendo a posição de Frank Lampard [treinador do Derby County]”.

Na próxima rodada do Campeonato Inglês, o Manchester City irá enfrentar o Huddersfield. E antes mesmo de ser perguntado, o técnico espanhol frisou que não enviará ninguém para espionar o time comandado por Mark Hudson. “Não vou enviar ninguém para espiar o Huddersfield. Se essa é a pergunta, esqueçam”, ponderou.

Após ser flagrado e questionado, ‘El Loco’ Bielsa confessou que enviou um espião contra todos os clubes que enfrentou durante a Championship, a segunda divisão inglesa. “Espionei todos rivais contra os quais jogamos e observei as sessões de treinamento de todos os nossos oponentes antes de jogar contra eles”, disse o argentino na última quarta-feira.

“O que fiz não é ilegal. O fiz porque não era ilegal e não estava violando uma regra específica. Não posso dizer que isto seja o correto, mas vou tentar explicar que não tive más intenções”, continuou.

Leia também:  Maradona fala sobre término: "minha vontade era arrancar a cabeça dela"

Como é de costume, o técnico do Leeds foi sincero, e admitiu que a prática é estúpida, mas que ajuda o seu grupo a sentir menos ansiedade antes das partidas, já que sabem o que o adversário planeja fazer no duelo.

“Nos sentimos culpados se não trabalhamos o suficiente. Isso (ver o treino dos oponentes) nos permite ter menos ansiedade e, no meu caso, eu sou estúpido o suficiente para permitir este tipo de comportamento”, ponderou.

Bielsa confessou também se sentir envergonhado em admitir o uso do espião, apesar de não se sentir um trapaceiro: “Eu sinto vergonha em ter que contar a vocês tudo isso. Eu não estou trapaceando. Eu sabia tudo que eu precisava saber”, finalizou 'El Loco'., que lidera a segunda divisão com o Leeds.

Leia também:  Paul Pogba elogia Solskjaer no comando o United: "temos sistema e estrutura"

Pep Guardiola , por sua vez, vive momento distinto e está em busca do segundo título inglês com o Manchester City consecutivo. Para isso, porém, o treinador que completa 48 anos nesta sexta-feira terá que superar o Liverpool de Jürgen Klopp, que lidera a competição com quatro pontos de vantagem.

    Leia tudo sobre: Futebol