Tamanho do texto

Nadia Nadim teve o pai executado e precisou fugir do país com apenas 12 anos junto com a mãe e as quatro irmãs; ela estava no Manchester City

Uma das mais tradicionais equipes de futebol feminino do mundo, o Paris Saint-Germain anunciou a atacante afegã-dinamarquesa Nadia Nadim, 31 anos, e que estava no Manchester City, como novo reforço até o final desta temporada.

Leia também: Para Buffon, Neymar e Mbappé vão ganhar cinco Bolas de Ouro nos próximos anos

PSG contratou Nadia Nadim, atacante que deixou Afeganistão perseguida por talibãs
Divulgação/PSG
PSG contratou Nadia Nadim, atacante que deixou Afeganistão perseguida por talibãs

E a nova atacante  do clube francês chama a atenção pela sua história de vida. Natural de Herat, no Afeganistão, ela era filha de um general do Exército Nacional Afegão morto por talibãs em 2000 e precisou deixar o país por conta da perseguição do grupo com apenas 12 anos.

"O Talibã o pegou", afirmou Nadia ao site da Fifa no último ano. "Ele desapareceu e nós sabíamos que ele não iria voltar. Ele foi assassinado", continuou.

Após a morte do pai, a mãe da jogadora saiu do Afeganistão com ela e as outras quatro irmãs. "Éramos seis mulheres sozinhas. Não tínhamos futuro, escola ou trabalho. Nós nem podíamos andar na rua sem um homem conosco".

Leia também: Jornal espanhol lista cinco possíveis contratações para o Barcelona em 2019

A atacante, então, deixou o Afeganistão juntamente com sua família portando passaportes falsos. Primeiramente foram até o Paquistão em uma van, depois viajaram para a Itália com o intuito de entrar na Inglaterra, mas acabaram ficando na Dinamarca, onde a jovem iniciou a carreira no futebol.

Em sua chegada ao PSG , a atleta mostrou-se empolgada. "O Paris Saint-Germain é um grande clube europeu, com o qual desejo ganhar muitos títulos. É uma equipe com muita ambição e muitos talentos. Estou convencida de que vou encontrar aqui um quadro perfeito para atingir o mais alto nível nacional e internacionalmente", ponderou.

Antes de chegar ao clube francês, Nadia passou pelo IK Skovbakken, onde ficou de 2006 a 2012, Fortuna Hjoerring, de 2012 a 2016, ambas equipes dinamarquesas. Nos Estados Unidos jogou pelo Sky Blue FC, entre 2014 e 2015, em um período de empréstimo, e Portland Thorns, de 2016 a 2017. Chegou ao City em 2018.

Leia também: Técnico interino do United admite desejo de efetivação: "Eu não quero ir embora"

A atacante também defende, desde 2009, a seleção dinamarquesa, onde participou de 85 jogos e fez 29 gols. Entre as bolas nas redes, destacam-se duas durante o vice-campeonato europeu da Dinamarca, em 2017. No PSG, ela jogará com duas brasileiras, a zagueira Daiane Santos e a meia Formiga.

    Leia tudo sobre: futebol