Tamanho do texto

Goleiro Khalid brilha e defende última cobrança do time argentino para fazer história e colocar a equipe da casa na decisão, que acontecerá no sábado

Após empate em 2 a 2 no tempo normal e na prorrogação, o Al Ain venceu o River Plate por 5 a 4 nos pênaltis e garantiu a primeira vaga na final do Mundial de Clubes da Fifa 2018, em partida realizada no estádio Hazza bin Zayed, em Al Ain, Emirados Árabes Unidos. O adversário na decisão, que acontecerá no próximo sábado, dia 22, às 14h30, sairá do duelo entre Kashima Antlers, do Japão, e Real Madrid, que jogam nesta quarta, às 14h30.

Leia também: Zico espera Kashima eliminando o Real Madrid: "Futebol não se vive de história"

Brasileiro Caio fez um gol no tempo normal e ajudou o Al Ain a se classificar para a final do Mundial de Clubes
Divulgação/FIFAcom
Brasileiro Caio fez um gol no tempo normal e ajudou o Al Ain a se classificar para a final do Mundial de Clubes

Os gols no tempo normal da primeira semifinal do Mundial de Clubes foram marcados por Berg, logo aos dois minutos, para o Al Ain. O artilheiro Borré, no entanto, marcou dois gols em cinco minutos e virou para o River. No início da etapa, final, no entanto, o brasileiro Caio fez boa jogada e deixou tudo igual novamente, para festa dos torcedores locais presentes no estádio.

O River pressionou nos minutos seguintes, mas acabou sofrendo no final e, por pouco, não sofreu nova virada. A partida ficou muito travada e acabou decidida somente nos pênaltis. Os cinco cobradores do Al Ain foram perfeitos em suas cobranças e guardaram as cinco. O escrete argentino também estava perfeito, mas Enzo Pérez, último cobrador, bateu mal e viu Khalid defender e colocar os donos da casa na final.

Com a eliminação na semifinal do River Plate , o time argentino se junta a Internacional, Atlético Mineiro e Atlético Nacional-COL, como equipes sul-americanas que não chegaram à decisão do Mundial desde que o novo formato foi adotado, em 2005. O colocardo caiu para o Mazembe, em 2010, os mineiros para o Raja Casablanca, em 2013, e os colombianos para o Kashima Anthlers, em 2016.

O jogo

Jogadores do Al Ain comemoram classificação histórica à final do Mundial de Clubes
Divulgação/FIFAcom
Jogadores do Al Ain comemoram classificação histórica à final do Mundial de Clubes

A bola mal começou a rolar no estádio Hazza bin Zayed que os donos da casa abriram o placar. Após cobrança de escanteio fechado, a bola desviou em Pinola e Berg, passou entre as pernas de Armani e entrou antes que Barman, já dentro do gol, completasse.

O River, porém, respondeu rapidamente e aos dez minutos, Montiel cruzou da direita, Pratto bateu de primeira e o goleiro Khalid salvou. Na sequência, ele dividiu com Palacios e a bola sobrou para Pratto, que finalizou e viu Borré desviar para o fundo das redes e empatar.

Seis minutos depois, em contra-ataque puxado por Pity Martínez, o camisa 10 acha Borré passando na direita e passa. O atacante, então, bate cruzado e sai para comemorar o gol da virada. O Al Ain partiu pra cima aos 25 minutos e e El Shahat finalizou obrigando Armani a fazer uma boa defesa.

Aos 45 minutos, o Al Ain chegou a empatar com El Shahat, mas após o árbitro Gianluca Rocchi consultar o árbitro de vídeo, ele viu impedimento no lance e decidiu anular em decisão errada.

Leia também: Conmebol divulga calendário da Copa América 2019; Confira horários e partidas

Já na segunda etapa, aos cinco minutos, o time emiradense partiu pra cima e conseguiu o empate. O brasileiro Caio Lucas tabelou com Shiotani, invadiu a área, passou por Maidana e bateu rasteiro no contrapé de Armani para deixar tudo igual.

A resposta do River demorou alguns minutos e aos 13 Lucas Pratto deu belo passe para Borré, que enfiou a bomba, mas o goleiro Khalid defendeu. Quando a partida estava muito equilibrada e nenhum dos times conseguia assustar, Ahmed fez pênalti em Casco. Pity Martinez, camisa 10 da equipe argentina, foi para a cobrança e acertou o travessão.

Dois minutos mais tarde, Shiotani tocou para Ryan, que bateu de fora da área e assustou o goleiro Armani. Aos 33, novo perigo para o gol do time argentino. Barman finalizou forte e acertou Maidana. Na sequência, Doumbia, sozinho, finalizou para fora. Já aos 45, Caio conseguiu ganhar de Pinola na área, mas a cobertura chegou para evitar a finalização do brasileiro. Aos 50, o árbitro encerrou o tempo normal e a partida foi para a prorrogação.

A primeira semifinal do Mundial de Clubes, entre River Plate e Al Ain, foi muito equilibrada
Divulgação/FIFAcom
A primeira semifinal do Mundial de Clubes, entre River Plate e Al Ain, foi muito equilibrada

A primeira boa chance do primeiro tempo da prorrogação foi aos três minutos com Scocco, do River, que recebeu de costas, girou e bateu rasteiro e viu o goleiro Khalid cair bem e fazer a defesa. Na sequência, a partida ficou muito travada e nenhum dos times conseguiu assustar os goleiros adversários.

Já com dois minutos jogados no segundo tempo da prorrogação, De La Cruz cobrou escanteio fechado, Pinola desviou e a bola raspou a trave do Al Ain. Aos 12 minutos, o time da casa cobrou falta para a área e Ahmed desviou à queima roupa, mas Armani, bem posicionado, defendeu e evitou o gol da virada. E após 120 minutos de bola rolando, nenhum dos times conseguiu ficar em vantagem e a vaga na final precisou ser decidida nos pênaltis.

O brasileiro Caio foi o primeiro a bater para o Al Ain e ele fez. Na sequência, Scocco bateu para o River e deixou tudo igual. Shiotani foi o segundo a bater para o time da casa e ele também conseguiu marcar. Quintero, de perna esquerda, igualou novamente o placar ao fazer para o time argentino. Al Ahbabi foi o responsável pela terceira cobrança do Al Ain e, apesar de Armani tocar na bola, ela entrou.

Leia também: Messi recebe sua quinta Chuteira de Ouro: "Jogo no Barcelona, fica mais fácil"

Lucas Pratto se encarregou da terceira cobrança dos Millonarios e o artilheiro também fez guardou. A quarta cobrança foi de Amer e ele fez, colocando o Al Ain em vantagem. Borré, que fez dois no tempo normal, deslocou o goleiro e empatou, mantendo os 100% de aproveitamento.  Ryan foi o último do time da casa e bater e colocou os donos da casa em vantagem, jogando a pressão pra cima do River. Enzo Perez foi o escolhido para cobrar o quinto pênalti. Ele foi devagar para a bola, bateu no canto esquerdo e o goleiro Khalid fez a ponte para defender e colocar o Al Ain na final do Mundial de Clubes e entrar para a história.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.