Tamanho do texto

40 mil torcedores da Juventus se reuniram em praça para assistir a final da Liga dos Campeões 2016/17. Confusão deixou mais de 600 feridos e uma torcedora morta. Os responsáveis tiveram prisão preventiva decretada

Alguns torcedores se feriram após confusão em praça durante transmissão de jogo da Juventus, em Turim, na Itália
Reuters
Alguns torcedores se feriram após confusão em praça durante transmissão de jogo da Juventus, em Turim, na Itália

Na última quarta-feira (12) a Corte de Cassação, última instância da Justiça da Itália, confirmou a validade da hipótese de homicídio preterintencional em tumulto envolvendo torcedores da Juventus, em junho de 2017, e que vitimou uma torcedora.

Leia também:  UEFA planeja jogos da Champions nos fins de semana para atrair chineses

O caso aconteceu durante a transmissão da final da Liga dos Campeões de 2016/17, entre Juventus e Real Madrid. Quarenta mil torcedores da Velha Senhora se reuniram na praça San Carlo, no centro de Turim, na Itália , para acompanhar a partida.

No meio do evento, um grupo de jovens causou correria na praça e alguns torcedores foram pisoteados. A torcedora da Juventus, Erika Pioletti, de 38 anos, faleceu alguns dias depois no hospital.

E o que é homicídio preterintencional? Esse termo é usado quando uma agressão, ainda que sem o desejo do autor, resulta em morte. De acordo com o Ministério Público da Itália, uma quadrilha de jovens lançou spray de pimenta na multidão para realizar assaltos.

A ação causou correria, as grades que cercavam a entrada de um estacionamento subterrâneo foram derrubadas e o barulho gerou um falso alarme de bomba. Neste instante, centenas de pessoas foram pisoteadas, incluindo Erika Pioletti.

Cerca de 600 pessoas ficaram feridas, sendo dez em estado grave. A maioria deles teve lesões leves, em decorrência de garrafas quebradas espalhadas pela praça.

Leia também:  Atlético-PR vence Barranquilla nos pênaltis e é campeão da Sul-Americana

A decisão de validar o homicídio preterintencional partiu da Suprema Corte e foi uma resposta a recurso da defesa dos réus que contestava essa tipificação. A Corte de Cassação também determinou a prisão preventiva dos réus no inquérito.

Logo após a morte de Erika, diversas personalidades italianas prestaram homenagens, incluindo Valentina Allegri, filha do treinador da Juventus , Massimiliano Allegri.

Visualizar esta foto no Instagram.

Questa sera abbiamo perso per la seconda volta. Questa volta, però, non si tratta di una partita di calcio, non si tratta della perdita di un trofeo, ma si tratta della perdita di una vita umana, di uno di noi. È una nuova sconfitta, ben più grave e dolorosa, che fa davvero male, che vede morire non solo l'uomo, ma l'intera umanità. Per l'ennesima volta vince il terrorismo che ha instillato in noi il terrore, l'allarmismo. Ormai riesce a colpire indirettamente, creando ansia e paura, tanta paura.Stavolta senza l'uso di armi. Non possiamo continuare a permettere tutto ciò. Non possiamo più lasciar vincere la violenza e l'ignoranza. Riposa in pace Erika❤️

Uma publicação compartilhada por Valentina Allegri (@valentinallegrireal) em

Leia também:  José Mourinho não dá folga e jogadores do United treinarão na tarde de Natal

Lembrando que nesse dia, além dos diversos feridos, os torcedores da Juventus da Itália viram a equipe perder por 4 a 1 do Real Madrid, que conquistou seu 12º título da Liga dos Campeões na história.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas