Tamanho do texto

Torcida do River recebeu elenco xeneize de forma hostil e vidros do ônibus foram quebrados; polícia utilizou gás de pimenta para conter confusão

A delegação do Boca Juniors foi recebida de forma nada amistosa pela torcida do River Plate em sua chegada ao estádio Monumental de Nuñez, neste sábado, onde acontece a final da Copa Libertadores 2018. Por conta da confusão, a decisão foi suspensa e remarcada para acontecer neste domingo, 25, às 18h, horário de Brasília. Antes, ela estava prevista para acontecer às 20h15 deste sábado, isto é, 2 horas e 15 minutos depois do horário inicial.

Leia também: Torcida do Palmeiras lota porta do CT antes de partida contra o Vasco; assista

Um dos vidros quebrados do ônibus do Boca Juniors após torcida do River Plate jogar pedras e copos
Reprodução
Um dos vidros quebrados do ônibus do Boca Juniors após torcida do River Plate jogar pedras e copos

Em vídeos inicialmente divulgados nas redes sociais, é possível ver alguns torcedores do River Plate atirando copos, garrafas, paus e pedras contra o ônibus do Boca Juniors , que teve vidros quebrados. Para conter a torcida do River, a polícia usou gás de pimenta e isso também atingiu a delegação do Boca. 

Parte frontal do ônibus do Boca Juniors também foi atingida
Reprodução
Parte frontal do ônibus do Boca Juniors também foi atingida








Segundo informações da imprensa argentina, os atacantes Ábila, Beneddeto e Tevez passaram mal nos vestiários do estádio por conta do gás de pimenta. Além disso, diversos veículos divulgam que estilhaços de vidros atingiram alguns jogadores, como Pablo Pérez, capitão do time, que teve o braço cortado e precisou ser levado de ambulância para um hospital e ser atendidopor conta de pedaços de vidros que atingiram seus olhos, assim como os de Gonzalo Lamardo.

Assista ao momento abaixo em dois vídeos de dentro e fora do ônibus


"Essa é uma partida de futebol, não viemos para a guerra. Poderia ter sido pior. Tive que acelerar porque pensei nos jogadores", disse o motorista do ônibus do Boca.

Por conta da confusão, os dirigentes do clube xeneize pediram adiamento da partida e após se reunirem com membros da Conmebol, Fifa e também do River Plate , que bateu o pé para que a decisão acontecesse neste sábado, a entidade sul-americana decidiu adiar em uma hora. Posteriormente, um novo adiamento de mais 20 minutos foi anunciado. Logo depois, a entidade decidiu adiar em mais 55 minutos.

Depois de várias reuniões e adiamentos, a entidade, então, decidiu suspender e remarcar para o dia seguinte, às 18h, no horário de Brasília. De acordo com o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, os dois times não queriam jogar e houve uma decisão de cavalheiros.

Leia também: Arena Corinthians substituirá Allianz Parque no calendário da Copa América 2019

Mais tarde, no entanto, uma decisão das autoridades de Buenos Aires colocaram a decisão da Libertadores em risco: Ricardo Raúl Pedace, diretor da Agência Governamental de Controle do Governo da capital argetina, anunciou que o Monumental de Núnez seria interditado por conta da confusão. É possível que o River consiga liberar sua casa mediante ao pagamento de uma multa, mas a Conmebol já busca outro local para que a decisão aconteça. 

Jornalistas argentinos contestaram o esquema de segurança montado para a chegada da delegação do Boca. Para muitos, o contigente policial foi pequeno tendo em vista a quantidade de torcedores do River que estavam na rua. Jornalistas estrangeiros informaram ainda que a Fifa, através de seu presidente, Gianni Infantino, estaria pressionando o Boca Juniors: caso não joguem, serão eliminados.

Mesmo diante dos ferimentos graves de dois jogadores e leves de outros vários, quatro membros do corpo médico da entidade assinaram um documento dizendo que não havia motivo para suspender o jogo. Em entrevista na zona mista do Monumental, Tevez afirmou que o Boca foi obrigado a jogar, mesmo sem condições.


Outras cenas lamentáveis antes da final da Libertadores 2018

- Mulher coloca sinalizadores no corpo de uma criança para entrar no estádio com artefatos proibidos




- Como ficou o ônibus do Boca Juniors






- Jogadores do Boca Juniors passam mal no vestiário




- Momento em que polícia age para conter a torcida do River





- Carlos Tevez passa mal após descer do ônibus





Vale lembrar que o primeiro jogo da final da Libertadores , que aconteceu no dia 11 de novembro, em La Bombonera, casa do Boca Juniors , era pra ter acontecido um dia antes, 10 de novembro, mas fortes chuvas em Buenos Aires fizeram com que o confronto passasse para o dia seguinte. Na ocasião, a partida terminou empatada em 2 a 2 .

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.