Tamanho do texto

Os dois ex-jogadores brasileiros declararam seu voto ao candidato do PSL nas eleições presidenciais deste ano

Ronaldinho Gaúcho foi nomeado embaixador do Barcelona em fevereiro de 2017
Reprodução
Ronaldinho Gaúcho foi nomeado embaixador do Barcelona em fevereiro de 2017

A diretoria do Barcelona tomou uma atitude radical e decidiu reduzir as participações do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho como embaixador mundial do clube devido a seu apoio declarado ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro .

Leia também: Apoio de Ronaldinho a Bolsonaro faz mídia espanhola questionar Barcelona

De acordo com o jornal catalão "Sport", o posicionamento de Ronaldinho Gaúcho "surpreendeu o clube". O mesmo deve acontecer com Rivaldo, que também apoia Bolsonaro.

Segundo a publicação, as posições "extremas" de Bolsonaro são "antagônicas aos valores que não apenas o Barcelona encarna, mas também a sociedade em geral".

Leia também: Rolê aleatório: Ronaldinho Gaúcho pega carona ao lado de piloto em São Paulo

"A homofobia, a misoginia e o racismo pregados por Jair Bolsonaro ao longo de mais de 30 anos de carreira política [...] são inaceitáveis do ponto de vista azul-grená, já que o Barça é um dos clubes que mais se posicionaram internacionalmente em lado oposto ao de Bolsonaro", diz o jornal.

O Barcelona não criticará abertamente a postura de Ronaldinho, mas "altas esferas" do clube decidiram diminuir sua presença em atos institucionais, como eventos de patrocinadores e amistosos de ex-craques. 

Leia também: Thierry Henry deixa seleção belga e é anunciado como novo técnico do Monaco

Ronaldinho Gaúcho declarou voto no candidato do PSL no último dia 6 de outubro, um dia antes do primeiro turno das eleições, com uma foto no Instagram em que ele aparece de costas, vestindo uma camisa da seleção com o número 17, o mesmo de Jair Bolsonaro.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.