Tamanho do texto

Rival do Santos nas oitavas de final da Libertadores, clube argentino mostra maior preocupação com punição do que com o crime de racismo

O Independiente da Argentina vem ao Brasil para enfrentar o Santos nesta terça-feira, pela segunda partida das oitavas de final da Copa Libertadores . Por este motivo, o clube criou uma cartilha para os seus torcedores que viajarão a São Paulo com cinco pontos e um deles, que fala sobre racismo , chamou a atenção.

Leia também: Após protestos da torcida, clube cancela contratação de jogador negro

Independiente e Santos fizeram jogo disputado na ida das oitavas de final da Libertadores
Ivan Storti/Santos FC
Independiente e Santos fizeram jogo disputado na ida das oitavas de final da Libertadores

Em nota, o Independiente pediu que sua torcida não realize manifestações racistas , preocupando-se com uma possível punição e não com o crime de racismo. Vale ressaltar que um santista registrou argentinos imitando macacos na partida de ida, em Avellaneda.

O clube argentino diz ainda na nota que é crime "fazer gestos ou chamar torcedores locais de macacos" e também confirma que isso já aconteceu em jogos anteriores, pois "já houve detenções". Durante toda a orientação, não deixa claro que o problema maior são as expressões racistas, mas afirma que os torcedores devem evitar pois "eles podem ser punidos economicamente".

Leia também: Argentinos ironizam Vinicius Junior: "De futuro Pelé ao time B do Real Madrid"

Confira a nota do Independiente em espanhol e logo abaixo em português:

Em nota, Independiente mostra maior preocupação com punição econômica do que com o crime de racismo em si
Reprodução/SiteOficial
Em nota, Independiente mostra maior preocupação com punição econômica do que com o crime de racismo em si
  • É crime racial fazer gestos ou chamar torcedores locais de macaco;
  • É crime no Brasil associar uma pessoa a um animal;
  • Os policiais entram em ação quando presenciam tais atitudes e prendem os torcedores visitantes;
  • Em partidas anteriores já houve detenções;
  • Há câmeras no estádio que registram tais ofensas raciais, razão pela qual é fácil provar o delito;
  • Pede-se encarecidamente evitar todo gesto ou palavra de conteúdo racial por dois motivos:
  • O clube pode ser penalizado economicamente.
  • A pessoa que comete tal delito racial pode ver-se exposta a consequências muito sérias, como ter antecedentes policiais/judiciais durante toda sua vida e poder ver-se impedido de sair do Brasil até que termine a instância pertinente do julgamento (perdendo seu voo e seu retorno ao trabalho e à família), além de ter que enfrentar grandes custos e possíveis multas e gastos com acompanhamento jurídico, como o eventual impedimento de ingresso no Brasil no futuro.

Na última quarta-feira, quando o Santos foi até o estádio Libertadores de América e empatou sem gols com o time local, um torcedor santista filmou argentinos imitando macacos.

Leia também: Pogba e Dembélé sofrem injúrias raciais em amistoso na Rússia, diz jornal

O torcedor registrou um boletim de ocorrência em São Paulo juntamente com o vice-presidente santista, Orlando Rollo, e um advogado do clube, que deve formalizar uma reclamação junto à Conmebol pedindo uma punição ao Independiente .

    Leia tudo sobre: futebol