robinho entrevista estupro
Reprodução
Em entrevista ao UOL, Robinho defendeu sua inocência, disse se arrepender de ter traído a esposa e culpou feminismo por reação

Após divulgação nesta sexta-feira (16) do conteúdo de trechos de interceptações telefônicas com falas de Robinho sobre o caso que o levou a ser condenado por estupro na Itália , o atleta deu entrevista ao UOL comentando a reação ao caso e detalhes do processo.

Robinho disse que "infelizmente, existe esse movimento feminista, que não sei o que, e muitas mulheres às vezes não são nem mulheres, para falar o português claro, e que se levantam contra porque, eu acabei de responder agora, eu não sou bonito, sou casado, com a minha esposa, mas se eu sair na rua e a mulher falar 'oi lindo, gostoso', tem uma conotação. Se eu mexer com você [aponta para a repórter do UOL que fez a pergunta], com falta de respeito, é totalmente diferente".

O condenado teve seu contrato com o Santos rompido nesta sexta  após a publicação do material que permitiu que todos tenham acesso a detalhes do caso que levou a sua condenação, gerando uma onda de protestos de patrocinadores do clube, que ameaçavam deixar de patrocinar o time caso Robinho não tivesse o contrato imediatamente suspenso . O Santos , que poderia perder cerca de R$ 20 milhões, recuou e anunciou que "em comum acordo" a validade do contrato foi suspensa "para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália".

Questionado sobre um possível arrependimento , Robinho respondeu: "Olha, eu me arrependo de ter traído a minha esposa, esse é o meu arrependimento". Em entrevista marcada por muitas interrupções da defesa do atleta, ele voltou a negar que tenha tido relações sexuais com a jovem de origem albanesa que acusa ele e seus amigos de estupro.

"Não, não tive relação sexual com ela, não. A gente teve relação entre homem e mulher, relações que o homem tem com a mulher, mas não chegou a ter nenhuma relação sexual, nenhuma penetração, nada disso", afirmou o jogador.

Robinho relembrou ainda que na data do ocorrido saiu, foi antes dos amigos envolvidos para casa, "e eles me contaram depois o que eles fizeram: 'com consentimento da garota, a gente fez isso, isso e isso', realmente eles me contaram depois", afirmou ao ser questionado sobre o caso.

Segundo a defesa do atleta condenado por estupro na Itália , algumas frases divulgadas nesta sexta foram apresentadas com erros de tradução ou "fora de contexto". Questionado sobre a frase "O (nome do amigo 1) tenho certeza que gozou dentro dela", Robinho fugiu de responder e disse que "eles traduziram muita coisa fora de contexto". Ele continuou dizendo que "na verdade, isso faz muito tempo, e em conversas de WhatsApp a gente fala, mas nunca com falta de respeito, nunca por desrespeitar as mulheres. Eles falaram, homens conversam entre si, né? Que teve relação sexual com a mulher, com o consentimento dela, porque ela quis, e é exatamente isso", relatou.

"A gente teve relação de homem e mulher, de ela me tocar, e eu tocar nela, mas não cheguei a fazer sexo com ela. Quando eu saí, os garotos continuaram lá com o consentimento dela. Eu estou me defendendo, os garotos se eles fizeram alguma coisa com ela, eu não posso falar por eles. Eu sei o que eu fiz com ela, e com o consentimento dela. Então foi isso que aconteceu", garantiu o atleta, atualmente sem clube.

Em uma das muitas interrupções dos integrantes da defesa de Robinho, desta vez feita por uma mulher que defendia o atleta, ele se direcionou a repórter do UOL que fazia parte da entrevista: "Talyta, eu respeito todas as perguntas, não tem problema, eu também gostaria de te responder com mais clareza, porque eu não sou mentiroso, verdadeiro, e nem fiz nada de errado, mas é porque tem coisas que é do processo da Itália e não é aqui no Brasil", explicou Robinho sobre o porquê de sua defesa impedir que certas perguntas fossem feitas.

"Eu não posso falar, os advogados dizem que eu não posso falar, é difícil", admitiu o atleta, em tom de brincadeira. Após nova interrupção e discussão entre a defesa e a equipe de reportagem, Robinho voltou a falar, admitindo que "tem coisa que eu nem lembro, mas eu tenho certeza que eu não dei um copo de bebida para ela, não posso responder pelos meus amigos".

O atleta citou o caso de sequestro de sua mãe durante a entrevista, mas acabou interrompido por sua defesa posteriormente. "Às vezes pode ser que você beba e não saia para um outro local porque se sentiu acuada, ou com medo de alguma coisa, têm pessoas que não falam porque sentem medo. A minha mãe foi sequestrada e demorou um tempo para ela falar dos sequestradores. Eu sei de tudo isso. Mas também tem um lado que eu não posso falar pela Justiça e tem um lado que estão me acusando sem antes ter uma sentença final". Neste momento, uma mulher que fazia parte da defesa do atleta interrompe a reportagem: "na boa, você já começou a entrar no mérito do processo", disse após o repórter do UOL ler um trecho dos materiais divulgados nesta sexta para fazer uma pergunta a Robinho.

    Veja Também

      Mostrar mais