imagem com logo vai corinthians escrito arrow-options
Divulgação
Documentário vai narrar invasão do Corinthians no Japão

O documentário “Vai Corinthians”, que terá como tema principal o bicampeonato
mundial pelo clube paulista e a invasão corintiana a Yokohama, no Japão, também foi afetado pela pandemia do coronavírus. Produzido pela Canal Azul, com o comando dos diretores Ricardo Aidar e Marcela Coelho, o filme foi paralisado em sua produção e, agora, aguarda o final da quarentena para dar os próximos passos.

Em entrevista exclusiva ao iG , o diretor Ricardo Aidar explicou que, após o período de pré-produção, que consiste em pesquisas de conteúdo, de personagem e de parte das imagens que serão utilizadas no filme, o passo seguinte é a produção, justamente a fase em que o documentário foi pausado.

Leia também: Rincón prevê dificuldade para Cantillo e critica desinteresse por conselhos

“Nela, alinhamos agendas e entrevistamos os personagens estruturais do documentário, fios condutores dos filmes. Pessoas que protagonizaram momentos excepcionais para acompanhar de perto esse episódio histórico. Em paralelo, é nesse momento também que preparamos equipes e licenças para filmagens em âmbito internacional, neste caso, o Japão”, afirma ele, apontando que, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, todos os envolvidos no documentário estão parados. “A equipeenvolvida com as filmagens está cumprindo a quarentena e todas as atividades foram suspensas. Estamos aguardando o fim do afastamento social, para então retomarmos a produção”.

Assim que puder retomar os trabalhos, os responsáveis pretendem filmar locais que foram ocupados por parte da torcida do Corinthians durante a estadia no país nipônico, como um hotel desativado que foi liberado para comportar torcedores, e que ficou conhecido popularmente como “Hotel Fantasma”. “Após todo o processo de captação, seguimos para a pós/finalização, que consiste de dar uma roupagem final de trilha e mixagem, tratamento de imagens, licenciamento de material de arquivo e uso de personalidade, até o momento da distribuição do produto às salas de cinema”, diz.

Leia também: Felipe Melo relembra discussão com PVC ao vivo: "Ele teve sorte"

Com a data de lançamento “ainda em análise”, o diretor lembra que, normalmente, a estreia ocorre no dia ou mês do acontecimento original. É importante ressaltar, entretanto, que uma portaria publicada recentemente pela Ancine anunciou algumas medidas de emergência para conter os efeitos da crise do coronavírus no audiovisual, entre elas, o interrompimento dos prazos para o lançamento comercial de obras audiovisuais produzidas com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, já que as salas de cinema estão fechando para evitar o contágio da Covid-19.

O filme será o sétimo documentário recente sobre o Corinthians. O mais novo, “A história de um sonho - Todas as Casas do Timão”, também teve a direção da dupla. A conquista no Japão, aliás, já foi retratada em outro filme, o “Invasão Corinthiana”. Porém, segundo Ricardo Aidar, desta vez, o espectador “pegará carona com os torcedores de volta a 2012, por meio do material captado na ocasião”.

Leia também: Nova profissão? Daniel Alves diz que pensa em virar cantor

“É impressionante poder refazer essa viagem por óticas distintas. De hotéis luxuosos a ‘acampamentos’. Da requintada culinária, ao clássico lanche de fast-food. Estamos falando do mesmo Japão, que ganha dimensões completamente diferentes a cada frame”, diz o diretor, completando: “é possível notar forte comoção em praticamente todos os entrevistados quando compartilham lembranças daqueles momentos e essa emoção é potencializada quando eles acessam as imagens de quase oito anos atrás”.

O documentário, aliás, tem contado com um forte aliado: a Fiel Torcida. Em seu site oficial, o clube paulista vem pedindo aos torcedores que estiveram no Japão na conquista que enviem vídeos para compor a produção. “Recebemos muitos vídeos, tanto de imagens captadas em 2012, quanto de pessoas que não conseguiram filmar (ou perderam as filmagens) contando boas histórias. As cenas mais engraçadas são dos torcedores brasileiros interagindo com os japoneses, pedindo para repetir frases e jargões. Apesar da variedade de ambientes filmados (hotel, restaurante, metrôs, ruas, percurso para os estádios), o que mais recebemos foram imagens dos gols e suas respectivas comemorações. Nosso maior desafio vai ser equalizar a qualidade das imagens recebidas, por conta dos dispositivos que possuíam maior limitação na definição do vídeo”, diz o diretor.

Leia também: Depressão cresce entre atletas do futebol profissional durante quarentena

Segundo Ricardo, alguns torcedores não tinham nem descarregado os arquivos filmados em 2012 e as imagens permaneceram em celulares antigos ou câmeras por todo esse tempo. “Em suma, vamos ver como torcedores de diversas classes, cores e credos, protagonizaram mais um episódio épico, pintaram o Japão de Preto e Branco, e voltaram bicampeões do mundo”, diz.

Entre os participantes confirmados no documentário está Noriharu Honda, que faleceu recentemente e vem ganhando diversas homenagens por parte da torcida, como noticiado anteriormente pelo iG. A entrevista com o torcedor aconteceu no dia 8 de março, menos de um mês antes da sua morte. A conversa com “Seu Honda” é lembrada com carinho pelo diretor.

“Enquanto preparávamos os equipamentos, falávamos sobre a dimensão daquele acontecimento, e ele contava detalhes dos bastidores da invasão. O Sr. Honda foi demasiadamente receptivo com a equipe e concedeu quase duas horas de entrevista, além de auxiliar a produção no contato com mais alguns torcedores. Estimamos nossos sentimentos aos familiares e amigos. Uma perda inestimável”, conclui.

    Veja Também

      Mostrar mais