Freddy Rincón, ex-jogador do Corinthians
Divulgação
Freddy Rincón, ex-jogador do Corinthians

Freddy Eusébio Rincón Valencia é um dos jogadores mais admirados pela torcida do Corinthians , não só pelo futebol apresentado em campo, mas, por ser um símbolo de liderança fora dele. Ao lado de Vampeta, o ex-jogador formou, na época, a melhor dupla de volantes do país, tendo participação ativa nas conquistas de dois brasileiros, um paulista e do primeiro Mundial de Clubes da FIFA, sendo, inclusive, o responsável por levantar a taça de campeão.

Leia também: Corinthians fala em ampliação de contratos e respiro com retorno sem torcida

Com currículo de sobra no clube paulista, o especialista na função pode falar com propriedade sobre o compatriota Víctor Cantillo , atual dono da posição e que, após boas atuações nos primeiros jogos, ganhou moral com a torcida alvinegra. Em entrevista a uma emissora colombiana,  Rincón elogiou o atual número 24 do time paulista, mas, fez ressalvas importantes para que o atleta consiga fazer história no clube, assim como ele.

“No Corinthians você tem que colocar muita raça em campo. Na posição que o Cantillo joga, você tem que ser duro, colidir e correr muito. Ele não tem físico para isso. Mas, futebol tem, sem dúvida”, afirmou ele, alegando que o jovem, para ter sucesso, “deve trabalhar mais o físico, mas, também não ser um robô”. Rincón falou ainda das características da torcida alvinegra, que, muitas vezes, dá mais valor a jogadores que não desistem em campo, do que àqueles que têm mais habilidade. “O Corinthians é um time em que se você deita no chão e eles (a torcida) veem que está se sacrificando, eles perdoam uma partida ruim”, comentou.

Questionado se daria algum conselho a atual volante, Rincón mais uma vez provou sua forte personalidade e criticou a falta de procura de Cantillo e de outros jogadores jovens por ensinamentos dos atletas mais experientes. “Esses meninos não perguntam nada. Eles acham que sabem de tudo. Ele (Cantillo) não necessita de nada de mim e eu não tenho o porquê procurá-lo”, apontou. É importante lembrar que o jovem jogador, durante apresentação oficial no Corinthians, elegeu Rincón como ídolo na posição. Na ocasião, citou bastante o seu compatriota e apontou que “seria difícil ser igual”.

Ainda durante a entrevista à emissora colombiana, Rincón, que jogou três copas do mundo e é considerado um dos mais importantes meio-campistas da história do futebol daquele país, escolheu brasileiros entre o melhor e pior técnico que trabalhou. Vanderlei Luxemburgo, seu treinador no Palmeiras e no Corinthians, foi apontado como o melhor de todos. Vale lembrar que foi o ex-técnico da seleção brasileira que “inventou” Rincón como volante, posição que posteriormente atuou durante seus melhores anos da carreira. Foi também com o atual treinador do Palmeiras que o colombiano virou auxiliar técnico no Atlético Mineiro.

Por outro lado, o pior comandante que já teve, segundo o jogador, foi Evaristo de Macedo, em 1999. Segundo informações, na época, Rincón, assim como Ricardinho e Gamarra, faziam duras críticas internas aos métodos de trabalho e o excesso de piadas do então treinador do Corinthians.

Rincón disputou 158 jogos com a camisa do  Corinthians e marcou 11 gols. Ele esteve no clube entre os anos de 1997 e 2000, e brevemente em 2004. No clube, também fez um dos mais importantes gols da carreira, o que garantiu a classificação para a final do Mundial de 2000. O camisa 8 marcou o segundo do Timão na vitória por 2 a 0 sobre o Al Nassr, da Arábia Saudita. Na carreira, teve passagens por Tolima, Independiente, América de Cali, Santos, Cruzeiro, Napoli e Real Madrid. Foi, ainda, treinador das categorias de base do alvinegro em 2009, e do profissional do São Bento, São José e Flamengo-SP.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários