Tamanho do texto

Especialista explicou que é normal o torcedor rubro-negro ter essa expectativa acima da média e contou como tudo isso pode ser controlado

Ansiedade toma conta da torcida do Flamengo arrow-options
Twitter/Reprodução
Ansiedade toma conta da torcida do Flamengo

O torcedor do Flamengo vive dias de ansiedade e noites sem sono por conta da final da Libertadores. E não é para menos, já que o time voltou a uma decisão continental após 38 anos e pode conquistar o bicampeonato no próximo sábado, diante do River Plate, na cidade de Lima, no Peru.

Leia também: Galvão mostra otimismo para final da Liberta: "Estou indo para gritar gol"

Essa expectativa mexe com a cabeça e tem uma explicação científica. Em conversa com a reportagem do iG Esporte , a especialista Roselene Espírito Santo Wagner, neuropsicóloga e psicanalista, contou os motivos que fazem o torcedor não pensar em outra coisa.

"Quando as pessoas se juntam em prol de alguma coisa, elas se tornam muito fortes. Então no momento em que elas entrarem em comboio social para aquele evento, a adrenalina baixa um pouco, porque na junção desse coletivo, no plural, o meu singular se perde, se funde, e eu me torno mais potente nessa energia de propagação do positivismo em favor dos flamenguistas de que o time seja campeão", comentou.

"E quando estou no meu singular, no eu fragilizado, na minha condição humana, a ansiedade é uma coisa que nos habita e é natural, normal que isso seja assim. É meio difuso o momento que isso se tornou patológico. Os dias de hoje são muito instantâneos, vivemos tudo em formato de instantes. Isso gera muita expectativa sobre aquilo", continuou.

Leia também: Jorge Jesus deve deixar o Flamengo caso conquiste os dois títulos, diz amigo

Segundo Roselene, os ansiosos são pessoas controladoras, inseguras na expectativa de que um determinado evento não se configure da maneira que elas esperam.

"O nível de ansiedade aumenta muito, descarregando na corrente sanguínea neurostransmissores que são produzidos no cérebro, que são adrenalina, noradrenalina e cortisol. São muitas partículas de oxigênio concentradas na corrente sanguínea", contou.

O que fazer para controlar a ansiedade?

Flamengo pega o River Plate no sábado arrow-options
Celso Pupo/Fotoarena/Agência O Globo
Flamengo pega o River Plate no sábado

Segundo a neuropsicóloga Roselene Espírito Santo Wagner, existem algumas maneiras para que essa sensação de ansiedade seja controlada. 

"Você já deve ter visto em cena de filme, quando alguém puxa um saco de papel e fala para a outra pessoa respirar ali dentro. Isso faz muito sentido. Quando você respira dentro do saco de papel, umas três ou quatro respirações, você inala um pouco de gás carbônico, dimunuindo essa quantidade de partículas de oxigênio, então você ganha um pouco de tranquilidade", disse.

"Tem que fazer uma respiração diafragmática. Você senta ou deita num lugar de conforto, inale o ar pelo nariz, infle a parte de baixo do seu abdômen onde está localizado o diafragma, na linha abaixo do umbigo, segure o ar ali dentro e solte lentamente pela boca", continua a especialista.

Segundo Roselene, se a pessoa que está sofrendo com ansiedade fizer isso umas três vezes de forma profunda, vai perceber uma certa onda, uma tontura, um "barato" qualquer na sua mente.

Leia também: Fla pode ser campeão da Libertadores no sábado e do Brasileirão no domingo

"É o seu cérebro recebendo oxigênio e começando a ganhar controle sobre o seu corpo. É a mente que mora dentro do cérebro que controla o nosso corpo, é preciso aquietar, acalmar e buscar por essa paz interior, por equilíbrio. Então a respiração é um dos maiores truques que a gente tem para desenvolver o controlo do somático, do orgânico", avisou.

E as dicas vão além. "Uma caminhada, uma pedalada, uma atividade física. Evitar bebidas ou alimentos que tenham muito estímulo, como café, chá, Cola-Cola, energéticos. Isso estimula muito e deixam a gente ainda mais pilhado", finalizou.

    Leia tudo sobre: futebol