Leila Pereira, conselheira do Palmeiras e presidente da Crefisa
Twitter/Reprodução
Leila Pereira, conselheira do Palmeiras e presidente da Crefisa

Apesar de ter o melhor patrocínio do Brasil com a Crefisa , a saúde financeira do Palmeiras nos primeiros oito meses de 2019 fechou no vermelho. O clube encerrou o mês de agosto com um prejuízo de R$ 33 milhões, segundo informações do Blog do Rodrigo Capelo .

Leia também: Presidente do Palmeiras, Galiotte reclama de VAR: "Que atue de forma séria"

Ou seja, toda arrecadação do Palmeiras por enquanto neste ano é menor do que as despesas. 

Ainda de acordo com o blog, o problema de analisar finanças que têm deficit, como no caso alviverde, é que esta não mostra todo cenário. A diferença entre o caixa (o que entra e sai da conta bancária) e as demonstrações contábeis (afetadas por registros importantes do ponto de vista da contabilidade), é um exemplo.

No valor total da dívida, R$ 10 milhões correspondem a processos trabalhistas e cíveis envolvendo ex-jogadores; outros R$ 3 milhões são referentes à variação cambial; R$ 2 milhões respondem pelas despesas financeiras em remessas de recursos para o exterior para a aquisição de jogadores.

Já R$ 3 milhões são de patrocínios incentivados que ficaram abaixo do orçado; R$ 9 milhões correspondem a direitos internacionais e de placas na beira do campo, que não foram realizadas. E R$ 6 milhões são das bilheterias abaixo do esperado.

Leia também: Acusado de racismo, Deyverson se defende: "Nunca humilharia uma pessoa"

Você viu?

Segundo o jornalista Rodrigo Capelo, uma parte importante do prejuízo – o reconhecimento de dívidas – tem uma importância meramente contábil e não representou despesas reais durante os oito meses avaliados.

O clube saiu prejudicado em relação ao que tinha previsto em seu orçamento em determinados itens, como variação cambial e despesas financeiras acima do planejado, receitas com patrocínios, direitos internacionais, placas e bilheterias abaixo.

O Palmeiras terá que encontrar receitas em outro meios até dezembro para não fechar o ano de 2019 no vermelho. A gravidade da situação, entretanto, ainda é baixa, segundo o blog.

As finanças continuam respondendo de uma forma saudável, com salários pagos em dia, certidões negativas de débito estão em ordem e não existem protestos em relação a dívidas sem acordo.

O Blog do Rodrigo Capelo ainda revelou empréstimo de R$ 5 milhões feito pelo clube no Banco Itaú. Isso, na verdade, é uma conta garantida. Uma espécie de cheque especial que clubes de futebol têm em determinadas instituições financeiras e serve para acertar o fluxo de caixa. Uma dívida que pode ser considerada operacional.

Leia também: Mancha Verde acusa Palmeiras de pedir adiantamento de cota para Globo

Dívidas de longo prazo não são urgentes. A preocupação é com a compra de jogadores, que são imediatas. Para um clube que faturou mais de R$ 400 milhões de janeiro a agosto, as dívidas operacionais ainda não dão dor de cabeça à diretoria.

Vale destacar que o Palmeiras  ainda tem quase R$ 62 milhões a receber por jogadores negociados, valor que precisa ser considerado. E a possibilidade real de ser campeão brasileiro ao final do ano também pode ajudar a equilibrar as finanças até o fechamento de 2019.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários