Tamanho do texto

Assassino confesso do jogador, Júnior trocou de prisão por conta do tipo de crime; nesta semana, Cristiana e Allana Brittes também foram transferidas

Edison Brittes
Reprodução
Caso Daniel: Edison Brittes é transferido de prisão pela segunda vez

Assassino confesso do jogador Daniel, em outubro de 2018, Edison Brittes Júnior foi transferido de presídio nesta sexta-feira (3) no Paraná, informou o Departamento Penitenciário do estado (Depen). Esta é a segunda transferência dele.

Edison Brittes estava na Casa de Custódia de Curitiba desde março, quando deixou a Casa de Custódia de São José dos Pinhais por receber uma oferta de fuga . Principal suspeito do caso Daniel, ele agora ficará preso na Penitenciária Central do Estado, em Piraquara.

O motivo desta segunda transferência é o tipo de crime pelo qual Edison responde. O Depen informou ainda que se trata de "uma transferência comum" e que está acontecento uma nova política, em que cada unidade prisional receberá um tipo de perfil de preso.

Leia também: Testemunha do caso Daniel acusa jogador de assédio em balada: "Forçou mesmo"

O Depen ressaltou também que o local onde Brittes estava receberá apenas presos que cometeram crimes contra mulher.

Nesta semana, Cristiana e Allana Brittes, mulher e filha de Edison, também foram transferidas . As duas trocaram de ala porque estavam sendo ameaçadas. Elas estão presas na Penitenciária Feminina do Paraná, também em Piraquara. Além dos três, mais quatro pessoas estão presas em decorrência do crime.

Preso desde novembro do ano passado, Edison Brittes confessou ter matado Daniel após encontrar o jogador dormindo na mesma cama de sua esposa. Antes, o atleta havia participado das comemorações do aniversário de sua filha.