Assassino confesso do jogador Daniel Corrêa, Edison Brittes Júnior foi transferido na manhã desta sexta-feira da Casa de Custódia de São José dos Pinhais para a Casa de Custódia de Curitiba, em mais um capítulo do caso Daniel.

Leia também: Testemunha diz ter conversado com Daniel na suíte: "Ele queria usar o banheiro"

Em mais um capítulo do caso Daniel, Edison Brittes foi transferido após suspeita de tentativa de fuga
Reprodução
Em mais um capítulo do caso Daniel, Edison Brittes foi transferido após suspeita de tentativa de fuga

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), afirmou que a transferência do homem que lidera a lista dos suspeitos do caso Daniel aconteceu às 10h e foi feita por motivos de segurança, sem dar mais detalhes.

Em entrevista à Rede Massa , no entanto, o advogado de defesa de Brittes, Claudio Dalledone, revelou que a mudança foi feita após seu cliente receber uma oferta para fugir da cadeia.

“O que ocorre dentro da cadeia é que eles [os presos] recebem bilhetes e em um dos bilhetes existia uma proposta de arrebatamento dele. Um preso fez um bilhete e disse ‘Se você me pagar R$ 70 mil, eu consigo te arrebatar’”, afirmou Dalledone.

Você viu?

Leia também: Caso Daniel: assista aos vídeos com os depoimentos das testemunhas do crime

A motivação do crime confessado por Edison Brittes contra a vida de Daniel teria sido porque ele encontrou o atleta deitado ao lado de sua esposa, no quarto do casal. Antes de ser agredido e morto, o próprio jogador mandou fotos para um amigo em que ele realmente aparecia deitado junto com Cristiana Brittes.

Edison, então, com a ajuda de outras pessoas, espancou o jogador e o levou para uma rua deserta, onde ali ele o decepou e o matou. Antes, Daniel havia participado da festa de 18 anos da filha de Edison, Allana Brittes.

Leia também: Cris Brittes pediu para não matar Daniel dentro de casa, revela testemunha

No total, sete pessoas são acusadas de envolvimento pela morte do jogador - seis estão presas (Edison Brittes, Cristiana Brittes, Allana Brittes, Eduardo da Silva, Ygor King e David William da Silva). Já Evellyn Brisola Perusso responde no caso Daniel em liberdade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários