Tamanho do texto

Fato não deve mudar muitos os rumos do processo, mas a acusação pode traçar um perfil melhor da família Brittes, complicando a situação

Cristiana Brittes na balada
Instagram
Cristiana Brittes é uma das acusadas na morte de Daniel

Durante as audiências do mês de fevereiro do caso Daniel , que investiga a morte do jogador em outubro do ano passado, na cidade de São José dos Pinhais, no Paraná, um depoimento chamou atenção.

Leia também: Testemunha do caso Daniel acusa jogador de assédio em balada: "Forçou mesmo"

Um amigo do jogador assassinado deu detalhes da fatídica noite, já que estava na balada ao lado de Daniel , mas não participou da festa na casa da família Brittes, na manhã seguinte.

Durante o depoimento, essa testemunha disse que não acompanhou o atleta até a festa na residência pois precisava trabalhar no sábado e que começou a ficar preocupado com o sumiço do amigo. 

Ele revelou ainda que, no final da festa na casa noturna, quando tentava se relacionar com uma moça, recebeu um "selinho" (beijo rápido na boca) e, ao perceber quem era, viu que se tratava de Cristiana Brittes , a mãe de Allana e esposa de  Edison Brittes , o assassino confesso.

Vídeo flagra Cristiana Brittes tentando dar
Reprodução / Tribuna da Massa
Vídeo flagra Cristiana Brittes tentando dar "selinho" em rapaz na balada

Neste momento, a afirmação da testemunha no depoimento foi questionada pelo advogado da família Brittes, Claudio Dalledone, que pediu para que o rapaz comprovasse que Cristiana havia beijado outros homens. 

Leia também: Vídeo mostra o jogador Daniel sendo empurrado na balada antes de ser morto

O fato é que as câmeras de segurança da "Shed", nome da balada, flagraram o momento que Cris Brittes tenta dar um "selinho" em um outro rapaz - que não é a testemunha do caso - enquanto Edison está em outro local.

O vídeo divulgado pelo programa "Tribuna da Massa" mostra o homem ainda não identificado se esquivando e evitando o beijo da moça. Assista abaixo:

Isso não deve mudar os rumos da investigação e do processo, mas a acusação deve usar o vídeo para traçar ainda melhor o perfil dos acusados.

O caso Daniel

Sete pessoas são acusadas pela morte do ex-jogador Daniel Corrêa Freitas, no dia 27 de outubro de 2018, em São José dos Pinhais . O empresário  Edison Brittes  confessou ter matado o atleta, que, segundo ele, teria tentado estuprar sua esposa, Cristiana Brittes.

Leia também: Assassino confesso de Daniel recebeu oferta de R$ 70 mil para fugir da prisão

Edison e Cristiana Brittes em cima de uma moto
Divulgação
Edison e Cristiana Brittes

Edison Brittes é acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, coação de testemunha e corrupção de menor. Eduardo da Silva, Ygor King e David William da Silva também estão presos por terem participação direta no crime.

Cristiana Brittes responde por homicídio, coação de testemunhas, fraude processual e corrupção de menor; já a filha Allana Brittes responde pelos mesmos crimes, exceto homicídio. 

Evellyn Brisola Perusso é a única que responde em liberdade no caso  Daniel . Ela é acusada de denunciação caluniosa e falso testemunho.

    Leia tudo sobre: Futebol