Tamanho do texto

Equipe tricolor abre 2 a 0, cede empate aos cariocas em apenas oito minutos, mas conta com brilho do goleiro Thiago Couto para sagrar-se campeã

Para um público de 37.315 torcedores no estádio do Pacaembu, São Paulo e Vasco decidiram a 50ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, na tarde desta sexta-feira, e a equipe tricolor levou a melhor, vencendo por 3 a 1 nos pênaltis, após empate no tempo normal por 2 a 2. Desta forma, os paulistas chegam à quarta conquista da principal competição de base do país em sua história e descontam a derrota para os cariocas, que aconteceu em 1992.

Leia também: Jogadores do São Paulo raspam cabeça em homenagem a garota com câncer

Jogadores do São Paulo levantam o troféu da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2019
Alexandre Battibugli/FPF
Jogadores do São Paulo levantam o troféu da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2019

Os gols do São Paulo foram marcados pelo artilheiro Gabriel Novaes, que chegou ao seu décimo na Copinha , ainda no primeiro tempo, e Antony, que também deu o passe para o primeiro. De falta, o camisa 10 vascaíno, Lucas Santos, abriu o marcador para o cruzmaltino e Tiago Reis, oito minutos depois, deixou tudo igual, fazendo a decisão ir para os pênaltis. E quem decidiu nas penalidades foi o goleiro tricolor, Thiago Couto, que defendeu a cobrança de Riquelme e garantiu o título para o escrete do Morumbi.

Resumo de cada tempo

Apesar das poucas chances criadas na primeira etapa, o time tricolor foi melhor. Com grande froça ofensiva, marcou no campo vascaíno praticamente durante os 45 minutos, sufocando os defensores, que muitas vezes se enrolaram e acabaram por ceder a bola aos são-paulinos. Autor do gol, Gabriel Novaes participou das duas principais chances.

Gabriel Novaes abriu o placar para o São Paulo na final da Copinha, chegou ao décimo gol e terminou a competição como artilheiro
Divulgação
Gabriel Novaes abriu o placar para o São Paulo na final da Copinha, chegou ao décimo gol e terminou a competição como artilheiro

O segundo tempo foi muito parecido, mas desta vez o São Paulo ampliou o placar mais cedo. O Vasco, então, precisou ir pra cima, mas não aproveitou as primeiras boas oportunidades que teve, sendo três delas logo após levar o segundo tento. A chuva intensa que caiu no Pacaembu durante cerca de 25 minutos impediu que o confronto fosse mais técnico, mas os cariocas não desistiram e conseguiram o empate quando tudo parecia perdido, levando a decisão para os pênaltis.

Principais lances em detalhes

A primeira grande chance da partida foi com Gabriel Novaes, do São Paulo, aos 16 minutos. O jovem recebeu de Paulinho, encarou a defesa, deixou dois marcadores para trás, mas acabou chutando por cima do gol. O lance serviu para levantar a torcida no Pacaembu.

Apesar de dominar a partida, o time paulista não conseguia assustar, até que aos 38 minutos, em lançamento milimétrico de Antony da direita, Gabriel Novaes apareceu atrás da zaga e desviou para o fundo do gol, sem chances para o goleiro vascaíno.

Leia também: Com golaço e assistência de Keno, Pyramids empata clássico contra o Zamalek

O segundo tempo continuou muito parecido como foi o primeiro e logo aos sete minutos, em contra-ataque mortal, Antony foi lançado, ganhou na corrida de Gabriel Norões, parou, driblou e bateu. A bola ainda tocou nas pernas do goleiro vascaíno, mas morreu no fundo das redes.

Um minuto depois, o Vasco tentou responder e teve sua melhor chance na partida inteira. Tiago Reis, que é o artilheiro da equipe na Copinha, finalizou muito fraco e a bola ficou com o goleiro são-paulino. Aos 11, foi a vez do cruzmaltino Caio Lopes, na cara do gol, perder outra chance. Inacreditavelmente, três minutos depois, o artilheiro Tiago Reis recebeu ótimo passe, girou dentro da área e da marca do pênalti bateu por cima.

Jogadores de São Paulo e Vasco disputam bola no alto durante final da Copinha
Divulgação
Jogadores de São Paulo e Vasco disputam bola no alto durante final da Copinha

O escrete carioca parecia sem forças, quando aos 31 minutos, em falta frontal, Lucas Santos chamou a responsabilidade e cobrou falta com muita categoria. A bola resvalou no travessão e foi para o gol. O goleiro são-paulino nem chegou a ir nela.

E o Vasco continuou em cima em busca do empate - e ele veio. Aos 38 minutos, a zaga tricolor afastou a bola, mas não completamente. O jogador vascaíno cruzou e encontrou livre o atacante Tiago Reis, que já havia perdido duas boas chances, mas desta vez, frente a frente com o goleiro ele bateu no alto para deixar tudo igual. Aos 42, quase aconteceu a virada carioca, mas a zaga paulista conseguiu se segurar.

A partir dos 45 minutos, foram mais três de acréscimos, e então as duas equipes passaram a ter muita cautela, pois levar um gol naquela altura significaria uma derrota. Aos 48 minutos, o árbitro encerrou a partida, que foi decidida nos pênaltis.

São Paulo e Vasco jogaram debaixo de temporal
Divulgação
São Paulo e Vasco jogaram debaixo de temporal

Quem abriu as cobranças foi a equipe com maior torcida no estádio. Ed Carlos foi o primeiro a bater para o tricolor e ele fez. Lucas Santos foi o encarregado pela cobrança vascaína e também guardou. Na sequência, Morato ampliou para os paulistas e Thiago Reis, que bateu o segundo do Vasco, perdeu o dele.

Leia também: Na zona de rebaixamento na Ligue 1, Thierry Henry é afastado do Mônaco

O São Paulo fez o terceiro com Tuta e Gabriel Norões perdeu mais um para o Vasco. Marcos Júnior poderia acabar com a decisão, mas também desperdiçou. Riquelme foi para a cobrança para tentar o Vasco vivo, mas o goleiro Thiago Couto defendeu, dando título para o time tricolor, para a festa dos milhares de torcedores no Pacaembu.