Tamanho do texto

Jogadores disputaram partida contra Botafogo de camisa amarela, de acordo com o clube 'para lembrar a consciência cívica dos atleticanos'. Torcedor relata que foi impedidos de entrar na Arena com adesivo de Haddad, do PT

Atlético Paranaense sinalizou apoio a Bolsonaro com camisa amarela vetada anteriormente pela diretoria
Reprodução
Atlético Paranaense sinalizou apoio a Bolsonaro com camisa amarela vetada anteriormente pela diretoria

O Campeonato Brasileiro foi antecipado neste fim de semana, com a rodada de número 31 começando na quarta-feira por conta das eleições. Porém, neste domingo o futebol nacional teve protagonismo por outra situação. No jogo de ontem na Arena da Baixada, em Curitiba, o Atlético Paranaense sinalizou apoio a Bolsonaro pela segunda vez durante a campanha eleitoral.

Leia também:  Com show de Suárez, Barcelona goleia Real Madrid por 5 a 1 no Espanhol

Na partida antes do primeiro turno das eleições presidências, o Atlético Paranaense sinalizou apoio a Bolsonaro quando quase todos os jogadores entraram em campo vestindo uma camisa amarela escrita ‘Vamos todos juntos por amor ao Brasil!’. O zagueiro Paulo André foi o único que vestiu a jaqueta do clube.

Devido a ação, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) multou o clube em R$ 70 mil . O órgão alegou que o Atlético Paranaense descumpriu o Regulamento Geral das Competições.

A manifestação em favor do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, desta vez veio de maneira mais sutil. Os atletas do Atlético-PR entraram em campo com um modelo de uniforme amarelo com vermelho, criado pela Umbro no início do ano para homenagear a camisa da seleção espanhola.

Na ocasião da divulgação deste uniforme em abril, a diretoria do clube paranaense tinha reprovado a peça e publicou em suas redes sociais que não usaria a camisa. “Desta forma, o Furacão [apelido do Atlético] não utilizará nem comercializará a camisa lançada", dizia o texto.

A mensagem foi apagada na última semana e muitos torcedores perceberam a movimentação. Em seu site oficial, o clube publicou uma nota em que explica o uso do uniforme contra o Botafogo.

“A mudança de uniforme será realizada para lembrar a consciência cívica dos atleticanos e de todos os brasileiros, que amanhã decidirão o futuro do nosso país. Após o jogo, as cores do Brasil vão pulsar no Estádio Atlético Paranaense. Neste momento da história brasileira, a participação consciente dos cidadãos é de extrema importância para o futuro de todos. Vamos todos juntos por amor ao Brasil!", dizia a nota.

Antes de a partida ter início, luzes verde e amarela foram projetadas no estádio e ressaltavam uma faixa escrita “vamos todos juntos por amor ao Furacão”.

Nas redes sociais, um sócio do clube fez transmissão ao vivo no Instagram mostrando que foi impedido de entrar na Arena da Baixada por usar um adesivo do candidato a presidência Fernando Haddad, do PT. Luis Henrique da Rocha Machado, advogado de 25 anos, contou que só conseguiu entrar no estádio com seu pai, Lauro Gomes Machado, após retirar o adesivo da camisa.

Leia também:  Dono do Leicester e filha falecem em acidente com helicóptero logo após jogo

O fato de que o Atlético Paranaense sinalizou apoio a Bolsonaro novamente ainda não foi comentado pelo STJD.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.