Tamanho do texto

O zagueiro ex-Ponte Preta fez o ato inusitado na última rodada do Brasileiro de 2017 e foi expulso. Partida marcou o rebaixamento do clube para a série B

Depois de quase dois meses de negociações, a Ponte Preta rescindiu o contrato com o zagueiro Rodrigo . O atleta foi um dos maiores acusados pelo rebaixamento da equipe para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Na última rodada de 2017, o atleta foi expulso após dar uma "dedada" no atacante Tréllez, do Vitória.

Leia também: Ex-jogador da Chapecoense morre após acidente de carro em Santa Catarina

Dedada de Rodrigo, da Ponte Preta
Reprodução
Dedada de Rodrigo, da Ponte Preta

A diretoria da Ponte Preta estava esperando uma recisão amigável com Rodrigo após o final do campeonato, mas o zagueiro queria receber o que restava até o final do seu contrato, no final de 2018. Sem acordo financeiro, o rompimento foi unilateral, assim como aconteceu com o goleiro Aranha no final da tarde de ontem.

Além dos salários até dezembro, Rodrigo ainda tem pendências financeiras com o clube referentes à sua passagem pelo clube em 2004.

A diretoria da Ponte Preta até pensou em fazer uma demissão por justa causa, após o ato irresponsável do zagueiro ter culminado no rebaixamento da equipe. Porém, a ideia não foi realizada para preservar a imagem do atleta, que ainda busca um novo clube.

Leia também: Orlando City procurou Ganso para substituir Kaká, mas meia recusou, diz jornal

Relembre a partida

Na partida, o clube campineiro vencia por 2 a 0, quando o zagueiro foi expulso aos 20 minutos do primeiro tempo. A Ponte Preta precisava manter o resultado para se livrar do rebaixamento. Entretanto, com um a menos, não resistiu a pressão do Vitória e sofreu a virada, justamente com um um gol de Tréllez, e foi derrotada por 3 a 2. Após sofrer o terceiro tento, a torcida do clube invadiu o gramado e a bola não voltou a rolar.

Leia também: Dono dos Patriots declara: "Neymar vai se juntar a nós na MLS"

O clube está sem dinheiro para quitar suas dívidas com atletas. Por isso, João Lucas, Fernandinho, Fábio Ferreira, Jean Patrick e Naldo já entraram com processo contra a Ponte Preta. Com a demissão unilateral de Aranha e Rodrigo, pode ser que estes dois nomes também entrem, na justiça em busca de uma compensação financeira.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.