Tamanho do texto

O zagueiro da Chapecoense se encontra internado em Rionegro, na Colômbia

Zagueiro Neto foi o último a ser resgatado do local do acidente, na Colômbia
Reprodução
Zagueiro Neto foi o último a ser resgatado do local do acidente, na Colômbia

A CBF vai enviar um especialista e um equipamento moderno à Colômbia para ajudar na recuperação do zagueiro da Chapecoense, Hélio Neto. O jogador é quem apresenta o quadro mais grave dentre os seis sobreviventes do acidente aéreo com a delegação do clube. Neto ainda é o único que prossegue sedado e as informações são de que a assistência ocorra ainda nesta sexta-feira (9), no hospital San Vicente, em Rio Negro.

Leia mais: Escudo da Chapecoense ganha novas estrelas; veja o que elas significam

Segundo o Estadão, Fernando Solera, presidente da Comissão de Controle de Doping da CBF e Jorge Pagura, presidente da comissão de médicos da organização, foram à Colômbia para acompanhar a recuperação dos sobreviventes brasileiros e deram as assistências necessárias para que todos fossem transferidos para o mesmo hospital.

Até o final da sexta-feira (9), o tomógrafo de impedância térmica que ajudará na recuperação da lesão toráxica de Neto chegará à Colômbia. O aparelho é utilizado para avaliação funcional e para tratamento de problemas pulmonares. Junto com o equipamento, o especialista Gustavo Janot, do hospital Albert Einstein, será enviado ao hospital.

Apesar do grave estado de saúde, Neto tem respondido aos tratamentos. Espera-se assim, que a sedação do zagueiro seja reduzida nos próximos dias. O jogador foi o último a ser retirado dos destroços do acidente. Nos últimos dias, a equipe médica da Colômbia responsável no caso encontrou uma bactéria que teria infeccionado os pulmões de Neto, mas que já vem sendo combatida.

Leia mais: Presidente da Chapecoense diz que pretende processar a Lamia

Sobreviventes

Dos seis sobreviventes, quatro eram brasileiros. Os estrangeiros faziam parte da tripulação de voo da Lamia, tiveram ferimentos leves e já foram liberados. Neto foi o único que se manteve sedado desde o dia de resgate do acidente.

Os outros três brasileiros, o lateral Alan Ruschel, o goleiro Jakson Follmann e o jornalista Rafael Henzel ainda se encontram no hospital em Rionegro, mas em melhores condições.

Leia mais: Bolívia prende funcionário que autorizou operação da Lamia

Alan Ruschel respondeu bem aos tratamentos e já saiu da UTI. O jogador da Chape já caminha sozinho e pode ser transferido ao Brasil nos próximos dias. Follmann teve a perna direita amputada e o jornalista Rafael realizou uma cirurgia no pé para diminuir a luxação. Todos se encontram no mesmo hospital da Colômbia.

    Leia tudo sobre: futebol