Tamanho do texto

Informações dão conta de que o ex-piloto da Fórmula 1 estaria consciente após fazer tratamento com células-tronco

Michael Schumacher sofreu acidente em 2013 e, desde então, muito pouco se sabe sobre sua saúde arrow-options
Arquivo pessoal
Michael Schumacher sofreu acidente em 2013 e, desde então, muito pouco se sabe sobre sua saúde

Nesta semana, o alemão Michael Schumacher deu entrada em um hospital de Paris , na França, para realizar tratamento com células-tronco . E esse tipo de experimento feito no heptacampeão da Fórmula 1 vem sendo bastante questionado pelos médicos ingleses.

Leia também: Michael Schumacher está “consciente”, relata enfermeira de hospital em Paris

Em entrevista ao jornal Daily Express , a médica Matilde Leonardi, diretora do Centro de Pesquisa sobre Coma do Instituto Neurológico de Milão, demosntrou estar bastante cética nas informações que dão conta de que Schumacher estaria consciente .

"Não há tratamento experimental com células-tronco que tenha um efeito positivo para pacientes em estado de consciência mínima como Michael Schumacher . As notícias divulgadas sobre o ex-piloto estão apenas alimentando falsas esperanças e iludindo as famílias de outros pacientes", disse Matilde.

"Ontem de manhã recebi duas ligações telefônicas de parentes de dois pacientes que queriam informações para permitir que seus filhos acessassem o mesmo tratamento. Eu me vi explicando que não sabemos nada sobre a existência desse tratamento", continuou a médica.

Confira fotos da carreira de Michael Schumacher:

Para Matilde Leonardi, há uma precipitação em relação aos tratamentos com células-tronco e que ainda não é possível confiar numa solução de problemas neurológicos e de medula com esse tipo de procedimento.

Leia também: Schumacher usou nome falso e se escondeu em cobertor para entrar em hospital

"Todos esperamos que sim, mas a verdade é que isso não existe, pelo menos por enquanto. Infelizmente, estudos conduzidos com células-tronco para doenças que afetam o cérebro e a medula não deram os efeitos esperados", avaliou a médica.

Tratamento para infecção?

Uma outra hipótese foi levantada por Brendon Noble, professor da Fundação Britânica de Células-Tronco. Em declarações ao Daily Mail , ele disse que não acredita que o eventual tratamento de Schumi tenha a ver com as lesões neurológicas, mas, talvez, para tratar alguma outra infecção.

Leia também: Schumacher recebe visita de ex-pilotos da Fórmula 1 em hospital de Paris

"Eu acho que é improvável, porque foi há muito tempo (o acidente aconteceu em 2013). A menos que tenha havido algumas complicações. Parece improvável para mim. Mas eu definitivamente não descarto isso. Nós simplesmente não sabemos", disse.

Michael Schumacher sofreu acidente em 2013 e, desde então, muito pouco se sabe sobre sua saúde arrow-options
Ferrari / Divulgação
Michael Schumacher sofreu acidente em 2013 e, desde então, muito pouco se sabe sobre sua saúde

Também ao Daily Mail , o cirurgião ortopédico da Clínica Regenerativa de Londres, Nima Heidari, disse que, caso o tratamento divulgado seja verdadeiro, dificilmente seria aprovado no Reino Unido.

"Tem que haver evidência suficiente para que ele obtenha o selo de aprovação. Conseguir esse selo de aprovação às vezes requer uma quantidade enorme de investimentos", comentou o médico.

Leia também: 2 mil dias após acidente, presidente da FIA diz que Schumacher "segue lutando"

O fato é que muito pouco se sabe sobre o real estado de saúde de Michael Schumacher , que sofreu um acidente de esqui no final de 2013. A família do ex-piloto da F1 não fornece qualquer informação.