Tamanho do texto

O heptacampeão mundial foi encaminhado para um hospital em Paris, onde vai passar por um tratamento com células tronco

Schumacher arrow-options
Divulgação
Desde o acidente em 2013, pouco se sabe sobre o estado de saúde de Michael Schumacher

O ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher deu entrada no Hospital Europeu Georges-Pompidou, em Paris, na segunda-feira (09), para fazer um tratamento com o cirurgião Philippe Menasché, pioneiro no uso de terapia celular contra a insuficiência cardíaca.

Leia também: Jean Todt fala sobre recuperação de Schumacher: “Vimos a corrida em sua casa"

De acordo com "Express", para que a entrada de Schumacher fosse o mais discreta possível, a família e o hospital tomaram duas atitudes: a primeira foi cobrir o corpo do heptacampeão mundial com um cobertor azul, e a segunda e mais curiosa foi usar um nome falso para registrar a chegada do paciente.

Segundo o jornal "Le Parisien", a lenda da Fórmula 1 será submetida a transfusões de células-tronco, com o objetivo de se obter uma ação "anti-inflamatória sistêmica".

Menasché e a direção do Georges-Pompidou não confirmaram nem desmentiram as informações sobre o ex-piloto, usando o argumento do segredo médico. Alguns jornais franceses asseguram que o alemão, que vive na Suíça, esteve em Paris ao menos duas vezes no primeiro semestre para realizar um tratamento médico.

Leia também: Michael Schumacher pode realizar grande sonho anos após grave acidente de esqui

Hoje com 50 anos de idade,  Schumacher  sofreu um grave acidente de esqui em dezembro de 2013, em Méribel, no sul da França, ao cair e bater a cabeça em uma rocha. Quase seis anos após a queda, a família do ex-piloto mantém seu real estado de saúde sob sigilo.