Tamanho do texto

O GP da Áustria, no Red Bull Ring, em Spielberg, será disputado neste domingo (30), a partir das 10h (horário de Brasília)

Lance

Charles Leclerc
Reprodução / Ferrari
Charles Leclerc conquistou a segunda pole-position de sua carreira

O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, completou o seu domínio do sábado ao conquistar a pole-position no GP da Áustria, nona etapa da temporada 2019 de Fórmula 1, seguido pelo britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, e pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull.

O quarto tempo ficou com Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton. O dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, cravou o quinto melhor tempo nos treinos para o GP da Áustria , porém perderá cinco posições quando sua punição por troca de caixa de câmbio for aplicada.

A sexta posição da qualificação foi para o britânico Lando Norris, da McLaren, seguido pela dupla da Alfa Romeo, Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi, e o francês Pierre Gasly, companheiro de Verstappen, que mantém seu histórico de decepções, já que não consegue replicar nem de longe o desempenho do holandês.

Leia também: Bolsonaro anuncia que GP do Brasil de Fórmula 1 será realizado no Rio em 2021

A 10ª posição do qualificatório ficou com o alemão Sebastian Vettel, companheiro de Leclerc . Vettel nem chegou a sair da garagem na última parte da sessão, pois a equipe italiana encontrou um problema mecânico em seu carro, que não foi resolvido a tempo.

No Q1, ficou bem claro que a Mercedes tinha um problema de ritmo. As Flechas de Prata eram 8ª e 12ª, com Hamilton sete décimos atrás do líder e Bottas mais de um segundo. No topo, ambos os carros da Ferrari de pneus médios. Nos minutos finais, a equipe alemã conseguiu colocar seus dois pilotos na parte de cima da tabela.

Dois pilotos sabiam que esta sessão não faria nenhuma diferença: Carlos Sainz Jr. e Alexander Albon. Ambos têm punições que lhe colocam no final do grid, mas ambos os pilotos conseguiram passar para a fase seguinte.

As equipes que não conseguiram ficar dentro do top 15 com nenhum carro foram Williams e Racing Point, com Sergio Perez ficando em 16º e Lance Stroll continuando sua sequência de resultados ruins na qualificação, ficando em 17º.

Leia também: 2.000 dias após acidente, presidente da FIA diz que Schumacher "segue lutando"

Separando as duas equipes ficou Daniil Kvyat, que saiu muito frustrado por ter sido atrapalhado em sua volta rápida por George Russell (Williams) na curva 9. O russo teve que fazer uma manobra evasiva e sair da pista, arruinando a sua volta rápida e lhe impedindo de passar ao Q2. Os comissários estão investigando este incidente.

No Q2, de maneira muito curiosa, a Ferrari optou por andar de pneus macios ao invés dos médios, como Verstappen, Bottas e Hamilton optaram. Sendo assim, a dupla da equipe italiana fez os melhores tempos, com Leclerc liderando, seguido por Vettel.

Verstappen foi terceiro, com o holandês mantendo os dois carros da Mercedes atrás dele. Para aumentar a preocupação da Mercedes, Hamilton está sob investigação por ter atrapalhado a volta de Raikkonen na curva 3, com o “Homem de Gelo” mostrando o dedo do meio para expressar sua raiva.

Na zona de eliminação ficou Sainz, que não se importou em tentar fugir da eliminação já que tinha uma punição severa no grid, bem como ambos os carros da Renault. Albon e Romain Grosjean, companheiro de Magnussen, completaram o grupo que foi eliminado na segunda fase da sessão.

A fase final viu somente a Alfa Romeo entre as equipes médias levar seus dois carros, juntamente com Norris e Magnussen.

A garagem da Ferrari parecia estar em pânico durante o intervalo entre o Q2 e o Q3 ao redor do carro de Vettel, com muitos reparos sendo feito no lado esquerdo do carro. A equipe descobriu uma falha na pressão do ar no motor italiano e, no fim, Vettel se levantou do seu carro sem registrar nenhum tempo, fazendo com que ele provavelmente largue em nono amanhã depois das já conhecidas punições aplicadas.

Na pista, Leclerc estava voando, cravando a melhor volta em sua primeira tentativa e melhorando ainda mais na segunda. O monegasco cravou o recorde do circuito em 1:03.003 e conquistou a sua segunda pole-position da carreira na Fórmula 1 .

Leia também: Papa recebe busto de bronze e capacete de Ayrton Senna no Vaticano

O GP da Áustria, no Red Bull Ring, em Spielberg, será disputado neste domingo a partir das 10h (horário de Brasília, GMT -3).

Confira o grid de largada do GP da Áustria de F1:

1) Charles Leclerc (Ferrari), 1:03.003
2) Lewis Hamilton (Mercedes), 0.259s
3) Max Verstappen (Red Bull), 0.436s
4) Valtteri Bottas (Mercedes), 0.534s
5) Lando Norris (McLaren), 1.096s
6) Kimi Raikkonen (Alfa Romeo Racing), 1.163s
7) Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo Racing), 1.176s
8) Pierre Gasly (Red Bull), 1.196s
9) Sebastian Vettel (Ferrari), s/tempo
10) Kevin Magnussen (Haas), 1.069s *
11) Romain Grosjean (Haas), 1:04.490
12) Daniel Ricciardo (Renault), 1:04.790
13) Sergio Perez (Racing Point), 1:04.789
14) Lance Stroll (Racing Point), 1:04.832
15) Daniil Kvyat (Toro Rosso), 1:05.324
16) George Russell (Williams), 1:05.904
17) Robert Kubica (Williams), 1:06.206
18) Nico Hulkenberg (Renault), 1:04.516 *
19) Carlos Sainz (McLaren), 1:13.601 **
20) Alexander Albon (Toro Rosso), 1:04.665 **

* punido com a perda de 5 posições
** punido com a perda de 10 posições