Romário recebe críticas, mas mantém indicação de Andrés para CBF

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

O deputado federal Romário, que tem se mobilizado contra o atual mandatário, manifestou seu desejo de contribuir para que o dirigente assuma o posto de Marin

Futura Press
Andrés Sanchez recebeu apoio de Romário

Exatamente quatro meses depois de pedir demissão do cargo de diretor de seleções da CBF e romper laços com José Maria Marin, Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, ganhou um importante apoiador em suas intenções de presidir a entidade máxima do futebol nacional a partir de 2014, ano das próximas eleições. O deputado federal Romário, que tem se mobilizado contra o atual mandatário, manifestou seu desejo de contribuir para que o dirigente assuma o posto de Marin.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o tetracampeão mundial pela Seleção Brasileia garantiu que é grande a possibilidade de as eleições de 2014, na CBF, sejam fraudadas. "A próxima eleição vai ser comprada também. Torço e acredito que apareça algum candidato avulso, contrário aos métodos atuais e que possa incomodar os atuais dirigentes", disse, antes de completar: "Se ele hoje, o Andrés Sanchez, se candidatasse à presidência da CBF, muito provavelmente teria meu apoio. Outro nome que também seria excelente é o Raí".

Logo após a publicação da íntegra da entrevista na internet, Romário recebeu uma enxurrada de críticas pelo Twitter, de torcedores que não viam Andrés Sanchez como um bom nome para a presidência da CBF. Tanto o ex-jogador do Vasco quanto o ex-presidente do Corinthians romperam laços com Marin recentemente - Andrés por ter sido voto vencido na demissão de Mano Menezes, e Romário logo depois de ser chamado de "deputado inexpressivo" pelo substituto de Ricardo Teixeira.

Leia mais: Romário levará petição contra Marin à sede da CBF

Na mesma rede social em que recebeu as críticas pela indicação de Andrés, Romário respondeu e exibiu seus argumentos: "A repercussão da entrevista foi grande, não poderia ser diferente, pois, se tratando de mim, sempre haverá gente a favor e contra. Vou dar uma explicação simples e objetiva, porque respeito a opinião de todos, assim como sei que vocês que respeitam a minha. Muitos podem falar: ele como diretor da CBF não ganhou nada. É verdade, por isso não tem que ser diretor, mas se candidatar à presidência. E por que não vir a ser um dos grandes presidentes do futebol mundial. É claro que eu sei e vocês também sabem que, no momento atual da CBF, qualquer um seria melhor para administrá-la".

"O Corinthians talvez seja hoje o clube mais bem estruturado do País. Infelizmente para seus adversários e rivais mais diretos, e felizmente para os querem o futebol bem estruturado, profissional, como tem que ser. Acredito que se o clube continuar nesta curva crescente, em três anos, poderá ser o primeiro em estrutura e captação de recursos. Não podemos esquecer que quem começou tudo isso foi o Sanchez, ele fez uma evolução no futebol paulista e brasileiro por sua ousadia e coragem. Teve coragem de repatriar o Ronaldo, que estava em uma condição ruim fisicamente. Mesmo assim ele o contratou e o resultado todos nós sabemos", explicou Romário, que também aproveitou o espaço para recomendar Raí ao posto máximo da entidade.

Leia tudo sobre: GENETRomárioJosé Maria MarinAndrés SanchezCBFpresidênciadeputado federalCTD

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas