Tamanho do texto

Com quatro vitórias em cinco jogos, o Brasil espera o duelo entre França e Canadá para saber sua posição na tabela de classificação do Grupo B

Wallace repetiu sua apresentação contra o Canadá e foi o maior pontuador do Brasil e do jogo contra a China
DIVULGAÇÃO/ FIVB
Wallace repetiu sua apresentação contra o Canadá e foi o maior pontuador do Brasil e do jogo contra a China

Hoje pela manhã, o Brasil encerrou sua participação na primeira fase do Campeonato Mundial de Vôlei Masculino 2018. Com quatro vitórias em cinco jogos, a seleção brasileira aguarda pela definição de qual posição ficará na classificação.

Leia também: Thaísa revela expectativa para estreia do Brasil no Mundial de Vôlei

O Brasil venceu a China por 3 sets a 0 (25/21, 25/22 e 25/17), na Arena Monbat, em Ruse, na Bulgária, mas ainda depende do resultado do confronto entre França e Canadá para conhecer em que posição seguirá para a segunda fase.

Nesta terça-feira, o grupo verde e amarelo contou com atuação inspirada do oposto Wallace, maior pontuador da partida, com 21 acertos.  Assim como na partida de ontem contra o Canadá. Douglas Souza foi o segundo maior pontuador, com 13. O capitão da seleção brasileira, Bruno, analisou a vitória e a importância em somar pontos para as próximas fases da competição.

“Sabemos agora quais times podemos enfrentar, seja saindo em primeiro, seja saindo em segundo. O importante era sair com o máximo de pontos possíveis desta fase, sabemos que carregamos os pontos. Um ponto perdido hoje, por exemplo, lá na frente poderia fazer falta”, disse o jogador.

“Era importante, após a derrota contra a Holanda, sairmos com a 'cartela cheia'. Sair do momento complicado e fazer esses seis pontos que nos deixam na briga. Essa é a hora de crescermos e melhorarmos, pois a segunda fase será ainda mais difícil que essa”, completou.

Brasil venceu o Canadá, ontem, por 3 sets a 1 e soma no Mundial de Vôlei Masculino
DIVULGAÇÃO/ FIVB
Brasil venceu o Canadá, ontem, por 3 sets a 1 e soma no Mundial de Vôlei Masculino

O central Lucão falou sobre a importância dos pontos obtidos contra a China e destacou o equilíbrio no nível de desempenho das seleções internacionais no Mundial.

“Assim que acabou o jogo contra a França, falamos que não poderíamos cair na armadilha de ter vencido, que teríamos outras boas equipes para enfrentar pelo caminho. Como dizemos, não existe mais adversário fraco, qualquer equipe pode complicar um jogo, como a China fez no começo do jogo”.

O central Maurício Souza, que anotou cinco pontos, comentou também sobre o bloqueio brasileiro e a possibilidade de crescimento no fundamento.

“Os outros times sabem o que estão fazendo, então, com o passe quebrado, não vão enfrentar nosso bloqueio. Com o passe na mão, fica um pouco mais complicado de chegarmos, estão explorando. Mas podemos evoluir sim nesse fundamento. Vamos trabalhar, treinar para crescermos”, analisou o jogador.

Leia também: NBA anuncia programa 'NBA Basketball School' no Brasil em 2019

A seleção brasileira já conquistou três títulos mundiais: em 2002, 2006 e 2010. Na mais recente edição, em 2014, fez a quarta final consecutiva, mas acabou superado pela Polônia, que jogava em casa, e ficou com a medalha de prata.

TABELA – Primeira fase

  • 12.09 (QUARTA-FEIRA) – Brasil 3 x 0 Egito (25/17, 25/22 e 25/20)
  • 13.09 (QUINTA-FEIRA) – Brasil 3 x 2 França (25/20, 25/20, 21/25, 23/25 e 15/12)
  • 15.09 (SÁBADO) – Brasil 1 x 3 Holanda (25/21, 20/25, 20/25 e 21/25)
  • 17.09 (SEGUNDA-FEIRA) – Brasil 3 x 1 Canadá (25/22, 19/25, 25/23 e 25/18)
  • 18.09 (TERÇA-FEIRA) – Brasil 3 x 0 China (25/21, 25/22 e 25/17)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.