Tamanho do texto

Sérvio decidiu encerrar sua temporada mais cedo para cuidar do problema no cotovelo direito e retornar 100% na próxima temporada

O tenista da Sérvia Novak Djokovic anunciou nesta quarta-feira que só voltará às quadras em 2018, por conta de uma lesão no cotovelo direito, que o incomoda há mais de um ano e o tirou do torneio de Wimbledon nas quartas de fnal. Sendo assim, o ex-número 1 do mundo fica fora do Aberto dos Estados Unidos e encerra uma sequência de 51 torneios de Grand Slam disputados por ele.

Leia também: Tenista interrompe partida para pedir que agasalhassem sua filha na arquibancada

Em 2017, Djokovic venceu apenas dois ATPs 250, em Doha e em Eastbourne, em janeiro e junho, respectivamente. Nas principais competições, acabou eliminado de forma precoce. Na próxima temporada, ele voltará ao lado do norte-americano Andre Agassi , que seguirá como seu treinador. Ele não informou a data precisa do retorno, mas a expectativa é que seja já em janeiro.

Lesão no cotovelo direito faz Djokovic encerrar temporada de forma precoce
Divulgação
Lesão no cotovelo direito faz Djokovic encerrar temporada de forma precoce

"Depois de quase um ano e meio tratando a lesão no cotovelo, tomei a decisão de não jogar mais torneios na temporada de 2017. Infelizmente, era uma decisão que precisava ser tomada nesse momento. Wimbledon foi provavelmente o torneio mais difícil, em termos de sentir a dor, que aumentou. Consultei muitos médicos nos últimos 12-15 meses e especialmente nessas últimas semanas que a lesão piorou. Todos eles acharam que eu preciso de descanso, de tempo", afirmou o tenista sérvio.

Leia também: Após oitavo título em Wimbledon, Roger Federer retorna ao top 3 do ranking

"É o mais importante para mim me recuperar, para poder jogar livre de lesões pelo maior tempo possível, para competir no esporte que me deu tanto, o esporte que eu amo. É claro que eu quero voltar para a forma vencedora, para ganhar novamente, para ganhar os troféus. Mas agora não é a hora de falar sobre isso. Neste ponto, estou me concentrando na recuperação", acrescentou.

Desde quando disputou o Aberto da Austrália em 2005, Novak Djokovic não deixou de participar de nenhum Major e alcançou a terceira maior sequência no tênis masculino e a sétima da história. Neste período, foram 12 conquistas de Grand Slam.

"A notável sequência chegou ao fim. Meu corpo tem seus limites, e eu tenho que respeitar isso e ser grato por tudo o que tenho alcançado até agora", continuou Djoko.

Leia também: Torcedor veste saia de ex-número 1 do mundo em momento hilário em Wimbledon

Neste ano, o sérvio de Belgrado somou 2585 pontos no ranking da ATP e hoje ocupa a quarta colocação. Entretanto, como não jogará mais torneios neste ano, ele deve deixar o top 10 e ficar próximo ao 13º lugar da lista.

Efeito Federer

O anúncio de que não vai mais entrar em quadra em 2017 de Djokovic acontece exatamente um ano após Roger Federer fazer o mesmo. O suíço, então, voltou totalmente recuperado e já conquistou dois Grand Slams (Aberto da Austrália e Wimbledon) e galgou ao terceiro lugar do ranking. Ele briga agora com Rafael Nadal e Andy Murray pela liderança.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.