Suíço se aproximou de Andy Murray e Rafael Nadal, primeiro e segundo, respectivamente; ele pode ser o número 1 mais velho ainda em 2017

Após conquistar seu oitavo título no tradicional torneio de Wimbledon , em Londres, na Inglaterra, e se tornar o maior campeão masculino da história da competição, o tenista suíço Roger Federer subiu para a terceira colocação no ranking da ATP, como era esperado. À frente dele, estão apenas o britânico Andy Murray e o espanhol Rafael Nadal, em primeiro e segundo, respectivamente.

Leia também: Marcelo Melo fatura Wimbledon: "Fiz tudo na minha vida para estar nesta quadra"

Neste domingo, a lenda derrotou o croata Marin Cilic por 3 sets a 0 , com parciais de 6-3, 6-1 e 6-4 e quebrou o recorde que pertencia ao norte-americano Pete Sampras. Além disso, este foi o 19º título de Grand Slams (os quatro torneios mais importantes do circuito) de Roger Federer.

Roger Federer conquistou seu oitavo título em Wimbledon e voltou ao top 3 do ranking da ATP
AELTC/Bob Martin
Roger Federer conquistou seu oitavo título em Wimbledon e voltou ao top 3 do ranking da ATP

Aos 35 anos, no entanto, Federer afirma que não pensa em se aposentar. "Nunca há uma garantia quando você tem 35 anos, mas meu objetivo, certamente, é estar aqui e defender meu título em Wimbledon", disse aos jornalistas após a conquista, que veio sem perder nenhum set.

Nos últimos anos, o suíço vem sofrendo com lesões - este ano chegou a ficar seis meses parado -, mas isso não tem afetado seu desempenho, já que ele acumulou dois títulos só nesta temporada (venceu o Aberto da Austrália em janeiro) e atuando em alto nível.

Leia também: Com direito a pneu, Garbiñe Muguruza vence Venus Williams e fatura Wimbledon

Número 1 mais velho

Com 6.545 pontos e 1.205 atrás de Murray, Federer pode chegar a liderança até o final do ano. Se isso acontecer, ele se tornaria o mais velho a atingir o topo. O recorde pertence ao norte-americano Andre Agassi, que liderou, em 2003, com 33 anos e 131 dias de vida - o suíço completará 36 anos no dia 8 de agosto.

Leia também: Torcedor veste saia de ex-número 1 do mundo em momento hilário em Wimbledon

O retrospecto de Roger neste ano leva a crer que o retorno à liderança é possível. Em 33 jogos neste ano, Federer venceu 31 e conquistou cinco títulos (sendo dois Grand Slams). O suíço 19 vezes campeão de Majors já liderou o ranking por 302 semanas, isto é, o maior tempo de um tenista no topo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.