Tamanho do texto

A eleição do mais novo presidente norte-americano Donald Trump pode dificultar as chances de Los Angeles receber os Jogos Olímpicos em 2024

O novo decreto de imigração foi implantado por Donald Trump e proíbe pessoas de sete países
Divulgação
O novo decreto de imigração foi implantado por Donald Trump e proíbe pessoas de sete países

Na sexta-feira (27) o presidente norte-americano Donald Trump assinou o decreto "Proteger a Nação da entrada de terroristas estrangeiros nos Estados Unidos", que proíbe a entrada de imigrantes de sete países predominantemente muçulmanos. Irã, Iraque, Iêmen, Líbia, Somália, Síria e Sudão são os territórios vetados na nova política implantada pelo republicano.

LEIA MAIS: Los Angeles aprova candidatura para Olimpíadas de 2024

A eleição de Trump ainda atinge o mundo esportivo e ameaçam as chances dos Estados Unidos receberem jogos no âmbito internacional. O país é um dos possíveis candidatos para a Copa do Mundo de 2026 enquanto Los Angeles já é uma das candidatas para os Jogos Olímpicos de 2024. A cidade californiana concorre à sede contra Paris e Budapeste, capitais francesa e húngara, respectivamente.

O presidente da Sociedade Internacional de Historiadores Olímpicos David Wallenchinsky, disse ao "The New York Times" que a eleição de Donald Trump feriu a candidatura de Los Angeles como possível sede dos Jogos. De acordo com o dirigente, o presidente foi identificado como "anti-muçulmano, anti-mulher e anti-latino".

Wallenchinsky ainda criticou a proibição muçulmana como um golpe para a candidatura californiana. "Não fatal, mas um golpe". Em uma reunião do COI, o representante foi questionado sobre os problemas do seu país e defendeu Los Angeles, alegando que três quartos dos eleitores da cidade votaram contra o governante.

Projeto da cidade de Los Angeles para os Jogos de 2024
Divulgação
Projeto da cidade de Los Angeles para os Jogos de 2024

A Copa do Mundo da Fifa também pode ser prejudicada com as novas medidas tomadas pelo presidente dos Estados Unidos. Uma possível oferta de sede em conjunto com o México pode ser afetada, já que construir um grande muro na fronteira com o país vizinho se encontra nos planos de Trump.

LEIA MAIS: "A Rainha me fez um cavalheiro, Trump me fez um alien", diz campeão olímpico

Lei anti-imigração

O porta-voz do Comitê Olímpico norte-americano, Patrick Sandusky disse ainda estarem estudando as medidas tomadas. "Estamos trabalhando estreitamente com a administração para entender as novas regras e como tratá-las no que diz respeito aos atletas visitantes", disse.

"Sabemos que eles apoiam o movimento olímpico, nossa proposta e acredito que teremos um bom relacionamento de trabalho para garantir o sucesso em hospedar e participar de eventos", continuou Sandusky.

LEIA MAIS: Tóquio 2020 vai revisar regras sexistas em clube de golfe

Um dos delegados do COI ainda criticou a decisão do presidente norte-americano. Richard Peterkin, de Santa Lúcia, disse que a ordem de Donald Trump é "muito, muito decepcionante", já que os Estados Unidos são considerados um refúgio para atletas.

    Leia tudo sobre: Donald Trump