Tamanho do texto

Após bater o número 1 do mundo, brasileiro perde para fenômeno japonês na semifinal e termina o torneio entre os quatro melhores

O brasileiro Hugo Calderano encerrou na manhã deste sábado (15), em Incheon, na Coreia do Sul, a sua histórica participação no ITTF Grand Finais, competição que reúne os 16 melhores mesa-tenistas do Circuito Mundial. Ele terminou o torneio entre os quatro primeiros, ficando com o inédito bronze, e foi o melhor não-asiático na competição, nos torneios individual e de duplas dos dois naipes.

Leia também: Brasileiro Hugo Calderano é indicado a melhor do mundo no tênis de mesa

Hugo Calderano fez história e conquistou o bronze no Grand Finals de tênis de mesa
ITTF
Hugo Calderano fez história e conquistou o bronze no Grand Finals de tênis de mesa

Na semifinal, poucas horas depois de bater o chinês Fan Zhendong, número 1 do mundo e eleito o melhor jogador da temporada, Hugo Calderano foi derrotado pelo japonês Tomokazu Harimoto, quinto do ranking mundial, por 4 a 0 (7/11, 8/11, 8/11 e 5/11).

A questão física parece ter pesado realmente na partida que valia a vaga na final. O fenômeno japonês, de apenas 15 anos, jogou sua partida de quartas de final um dia antes. Calderano teve menos de cinco horas de recuperação de um duelo extremamente desgastante contra o melhor do mundo.

Leia também: Coreias do Norte e do Sul se unem para disputar Mundial de tênis de mesa

A partida mostrava que a missão do brasileiro seria muito mais difícil. Harimoto era agressivo em todas as jogadas e dominou os dois primeiros sets, quando venceu por 11 a 7 e 11 a 8. O melhor momento de Calderano foi no terceiro set, onde ele esteve na frente do placar até a metade. Na última parcial, o brasileiro já não mostrava mais poder de reação.

Calderano mostra-se satisfeito com o resultado da temporada e, consequentemente, no Grand Finals . Ele iniciou o ano como 17º do mundo, chegou ao sexto lugar no ranking e segue subindo, com momentos brilhantes, como a vitória nas quartas de final.

Leia também: Brasileiro tem medalha paralímpica furtada e faz apelo: "Representa muita coisa"

“Foi uma sensação incrível ganhar do número 1 do mundo. Ele quase nunca perde para atletas de outros países. Consegui jogar no meu melhor nível. Tive um ano muito bom. Consegui evoluir muito rápido. Claro que, quando a gente atinge o topo, fica cada vez mais difícil. Mas fico feliz que o meu trabalho duro está dando certo”, disse o Hugo Calderano .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas