Tamanho do texto

Os brasileiros Gabriel Medina e Filipe Toledo disputam com o australiano Julian Wilson o título de campeão mundial de surfe 2018

O brasileiro Gabriel Medina é líder no Mundial de Surfe 2018 e pode ser bicampeão mundial
WSL
O brasileiro Gabriel Medina é líder no Mundial de Surfe 2018 e pode ser bicampeão mundial

A última etapa do Campeonato Mundial de Surfe 2018 começa nesta sábado com uma disputa tripla pelo título. Os brasileiros Gabriel Medina e Filipe Toledo, e o australiano Julian Wilson, chegam ao Pipeline Masters prontos para uma boa disputa.

Leia também:  Conheça Stephanie Gilmore, heptacampeã mundial no surfe feminino

O evento mais tradicional do  Mundial de Surfe acontece na costa oeste da ilha de Oahu, no Havaí e vai até o dia 20 de dezembro.

No ranking de pontuação da WSL, o paulista Gabriel Medina leva vantagem. Ele tem 56.190 pontos, enquanto Julian Wilson e Filipinho estão empatados na segunda colocação com 51.450 pontos. Apesar da diferença numérica, todos tem possibilidade de título.

Acompanhe abaixo as três opções de pódio em Pipeline:

  • Se Medina parar nas quartas-de-final da etapa, Felipinho e Julian precisam disputar a final para levar o troféu;
  • Se Medina chegar até a semifinal, ambos os concorrentes precisam vencer Pipeline Masters;
  • Mas se Medina chegar até a final, sendo vencedor ou não da etapa, ela será campeão mundial de 2018.

Com bom desempenho no segundo semestre do ano, Medina chega como favorito ao título nas areias do Havaí. Ainda mais que o atual campeão mundial, o havaiano John John Florence, anunciou nesta semana que desistiu de disputar a última prova.

Na quarta-feira (06), o surfista publicou em seu Instagram a decisão. Ele voltaria de uma lesão no joelho direito, mas disse não estar 100% e quer se preservar para a próxima temporada. Porém, a lenda do surfe Kelly Slater estará no páreo e pode complicar a vida dos postulantes ao título.

Leia também:  Mulher que amarrou sinalizadores em criança é proibida de ir em estádio

Conheça um pouco mais sobre a trajetória de cada atleta que disputa o título do Mundial de Surfe neste ano.

Gabriel Medina quando foi campeão mundial em 2014
Divulgação
Gabriel Medina quando foi campeão mundial em 2014


Gabriel Medina iniciou sua carreira no surfe profissional em 2011. No ano seguinte foi eleito rookie do ano (calouro do ano). Ele tinha 20 anos quando conquistou seu primeiro título mundial de surfe, em 2014. Desde então, virou o queridinho do Brasil na modalidade e fez sucesso estrelando diversas propagandas na televisão.

Na temporada 2018 venceu duas etapas - Tahiti e Surf Ranch Pro. Já chegou a duas finais em Pipeline, mas foi vice em ambas, uma delas para o concorrente ao título Julian Wilson.

O brasileiro Filipinho é o segundo brasileiro a disputar o título do Mundial de Surfe 2018
WSL
O brasileiro Filipinho é o segundo brasileiro a disputar o título do Mundial de Surfe 2018


Paulista de 23 anos, Filipinho está na elite do surfe há cinco anos. Sua melhor posição nos Mundiais da WSL foi em 2015 quando ficou em quarto lugar. Hoje ele disputa o título com o compatriota Gabriel Medina e tem sido muito elogiado pela evolução de suas performances.

Na temporada 2018 ele venceu duas etapas, Rio de Janeiro e Jeffreys Bay, na África do Sul.

O australiano Julian Wilson comemora vitória em etapa de Pipeline no Mundial de Surfe, contra Medina
WSL
O australiano Julian Wilson comemora vitória em etapa de Pipeline no Mundial de Surfe, contra Medina


O mais experiente entre os três, o australiano de 30 anos Julian Wilson está na carreira de surfista profissional desde 2007. No ano de 2011 ele entrou para o circuito da WSL e foi eleito o calouro do ano.

Leia também:  "O ambiente que rodeio LeBron é tóxico", diz Durant em crítica a imprensa

Apesar da carreira longeva, Julian nunca foi campeão mundial. O mais próximo que chegou foi na temporada passada, em terceiro lugar. Na atual temporada do Mundial de Surfe , ele venceu duas etapas: Gold Coast e Pro France.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.