Tamanho do texto

A temporada 2019 do Mundial de Surfe começará em abril e tem mudanças na ordem das etapas australianas. A WSL será a primeira liga esportiva dos EUA a conceder premiação igual para as modalidades feminina e masculina

O surfe em 2019 fará escala em Jeffreys Bay, na África do Sul
WSL/ Cestari
O surfe em 2019 fará escala em Jeffreys Bay, na África do Sul

A World Surf League divulgou nesta quarta-feira o calendário de 2019 para o Mundial de Surfe masculino e feminino e uma série de medidas para incentivar as mulheres no esporte como premiação igual e mais visibilidade do campeonato.

Leia também: Surfista Pedro Scooby comenta naufrágio na Indonésia

Criado em 1976, o Championship Tour é referência no surfe “Temos um grupo internacional de surfistas masculino e feminino e uma rota global com as melhores ondas em locais paradisíacos. A fim de melhorar, conversarmos com todos os envolvidos e resolvemos mudar o início da temporada de março para abril. Dessa forma os atletas têm mais tempo para se recuperar e continuar ultrapassando seus limites” disse Sophie Goldschmidt, CEO da WSL.

O calendário também foi criado para atrair mais público. O Comissionário da WSL, Kieren Perrow, espera um nível de provas maior no próximo ano “É com muito prazer que anuncio um calendário saudável e diversificado em 2019 para desafiar ainda mais nossos atletas” comentou o ex-atleta de 41 anos.

Os melhores surfistas do mundo passarão por Austrália, Indonésia, Brasil, África do Sul, América do Norte, Polinésia Francesa e Europa encerrando no Havaí, na tradicional prova do Pipe Masters. Em relação a 2018, o calendário mantém a piscina de ondas de Kelly Slater em Lemoore e a perna australiana – conjunto de três provas no país da Oceania – terá uma quebra com o evento em Bali, na Indonésia.

Segundo Perrow, os ataques a tubarões que ocorreram em Margaret River nas últimas temporadas foram decisivos para que a WSL alterasse as datas da etapa. Ele explicou que com a mudança, a temporada terá um ritmo melhor e uma grande chance de melhores condições para os surfistas.

Adrian Buchan, representante dos atletas, disse que o compromisso com a qualidade dos locais faz crescer a competição “a diversidade das ondas faz com que o cronograma fique mais exigente para homens e mulheres. O tour requer uma variedade de habilidades para se apresentar e isso é ótimo” destacou. Segundo ele, as mudanças foram bem aceitas pelos surfistas.

Veja abaixo o calendário de surfe masculino para 2019:

Gold Coast Men’s Pro: April 3 - 13, 2019
Rip Curl Pro Bells Beach: April 17 - 27, 2019
Bali Men’s Pro: May 13 - 24, 2019
Margaret River Pro: May 27 - June 7, 2019
Oi Rio Pro: June 20 - 28, 2019
J-Bay Open: July 9 - 22, 2019
Tahiti Pro Teahupo’o: August 21 - September 1, 2019
Surf Ranch Pro: September 19 - 22, 2019
France Men’s Pro: October 3 - 13, 2019
Meo Pro Peniche: October 16 - 28, 2019
Billabong Pipe Masters: December 8 - 20, 2019

A vez das mulheres no surfe

O Mundial de surfe de 2019 entregará premiação igual para homens e mulheres
WSL/ Cestari
O Mundial de surfe de 2019 entregará premiação igual para homens e mulheres

A outra grande novidade para a temporada de 2019 é a entrega de premiação igual para homens e mulheres. A WSL se tornará a primeira e única liga esportiva global dos EUA a alcançar a igualdade no prêmio em dinheiro. Seus organizadores se dizem orgulhosos por se juntar a outras organizações pelo mundo em prol da representatividade no esporte.

Leia também: Serena é eleita a mulher mais bem paga do esporte, segundo Forbes

Stephanie Gilmore, seis vezes campeã do Women’s Championship Tour comemorou a decisão “Isso é incrível, estou muito feliz. O prêmio em dinheiro é fantástico, mas a mensagem significa mais ainda” disse a atleta que lidera o ranking de 2018.

O multicampeão Kelly Slater também se pronunciou sobre as premiações “as mulheres merecem essa mudança. Tenho muito orgulho de que o surfe esteja na liderança dos esportes pela igualdade e justiça. O surfe sempre foi um esporte pioneiro e esse é um exemplo”.

Na grade do tour feminino também ocorreram mudanças. O Vans US Open de Surf em Huntington Beach mudará de CT para QS10000, assim como o dos homens. Para a comissionaria das mulheres, Jessi Miley-Dyer, o calendário de 2019 é o melhor que já viu em sua carreira “Isso mostra o compromisso da WSL com o surfe feminino e a criação de uma plataforma real para o avanço do esporte. Estou animada para saber o que as meninas farão com isso”.

A Liga também anunciou três iniciativas que serão lançadas em 2019:

  • Campanha global para incentivar o Tour Feminino, além de aumentar a visualização de eventos e a interação com os fãs;
  • Um programa de envolvimento com a comunidade local por meio de clínicas para meninas em todo o mundo, com instrução de atletas da WSL em cada etapa do Women’s Championship Tour, a fim de inspirar a próxima geração;
  • Uma série de conteúdos mensais sobre as mulheres pioneiras do surfe. Começando já na próxima semana com a hepta campeã mundial Layne Beachley.

Leia também: Curry faz coro por igualdade salarial no basquete americano

Veja abaixo o calendário da etapa feminina de surfe em 2019:

Gold Coast Women’s Pro: April 3 - 13, 2019
Rip Curl Pro Bells Beach: April 17 - 27, 2019
Bali Women’s Pro: May 13 - 24, 2019
Margaret River Pro: May 27 - June 7, 2019
Oi Rio Pro: June 20 - 28, 2019
J-Bay Open: July 9 - 22, 2019
Surf Ranch Pro: September 19 - 22, 2019
France Women’s Pro: October 3 - 13, 2019
Meo Pro Peniche: October 16 - 28, 2019
Hawaii Women’s Pro: November 25 - December 7, 2019

    Leia tudo sobre: surfe
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.