Tamanho do texto

O carioca e a pernambucana representaram o surfe brasileiro e subiram no lugar mais alto do pódio na Playa El Elio, na província peruana de Trujillo

Phil Rajzman e Atalanta Batista vencem Huanchaco Repalsa Pro e são campeões sul-americanos
Renato Moreno/ Olas Norte
Phil Rajzman e Atalanta Batista vencem Huanchaco Repalsa Pro e são campeões sul-americanos

O bicampeão mundial de longboard Phil Rajzman conquistou o título que faltava em sua carreira, o WSL South America. Em sua quinta participação das sete edições do evento, o carioca chegou a ser finalista por dois anos consecutivos, mas sem vitória em nenhum deles. Agora em 2017, venceu o jovem Julian Schweizer, de 17 anos anos de idade e o primeiro uruguaio a chegar numa final do Huanchaco Repalsa Pro.

LEIA TAMBÉM: Surfista congela a barba em onda a quase zero grau; confira

"Estou muito feliz com meu primeiro título sul-americano aqui no Peru. As condições estavam difíceis, a maré muito seca, mas achei boas ondas e estou muito feliz”, vibrou Phil Rajzman . “A correnteza também estava muito forte, tivemos que remar muito mais, as ondas estão muito difíceis de achar as boas, mas tentei manter a tranquilidade na final e tive sorte também. O Julian (Schweizer) é muito talentoso, o Piccolo (Clemente) já havia me falado dele, que tinha potencial para ganhar esse campeonato, mas estou muito contente por ter conseguido o título sul-americano, que há muitos anos venho buscando. Quero agradecer a todos aqui do Peru e do Brasil também, é mais um título aí pra galera festejar comigo”.

Na grande final, o brasileiro usou toda a sua experiência para escolher as melhores ondas e repetir a atuação da semifinal canarinho contra Wenderson Biludo, quando se tornou o recordista absoluto do Huanchaco Repalsa Longboard Pro com nota 9,65 e 17,65 pontos. Na decisão, pegou apenas três ondas. Começou com nota 4.00 e depois ganhou um 6.25. Mas sua última onda desbancou um 10 de dois dos quatro juízes e computou 9.75 pra média, vencendo o uruguaio por 16.00 a 6.05.

LEIA TAMBÉM: Surfista abandona reality show após ser atacada nua por mosquitos

Surfe feminino

Atalanta Batista
Renato Moreno/ Olas Norte
Atalanta Batista

Na competição feminina, Atalanta Batista manteve forte sua invencibilidade com uma nota 10 na decisão e garantiu também a vitória do Huanchaco Repalsa Pro 2017. Em final brasileira, a pernambucana encarou a atual líder mundial Chloé Calmon.

“Já estava muito feliz por estar aqui novamente em Huanchaco, mas as ondas dessa vez estavam muito difíceis, muito grandes, quebrei duas pranchas, tomei muitas séries na cabeça, mas estou com Deus, Ele me protegeu e me deixou calma para achar aquela onda incrível, que entrou perfeita para mim”, disse Atalanta Batista. “As minhas oponentes eram superfortes, uma que está liderando o ranking mundial (Chloé Calmon), uma campeã californiana (Kaitlin Maguire) e uma peruana também que é promessa (Carolina Thun). Mas, dei tudo de mim para conseguir superar todas as dificuldades e conquistar meu terceiro título sul-americano aqui em Huanchaco. Estou muito feliz e dedico essa vitória aos meus filhos, minha família e a todos que me apoiaram e torcem por mim”.

LEIA TAMBÉM: Surfista escocês é resgatado após 32 horas desaparecido em alto mar

Embora seja a primeira vitória de Phil Rajzman no evento, esta foi a terceira de Atalanta Batista. Os brasileiros André Luiz Deca (2009), Rodrigo Sphaier (2010, 2013) e Jefson Silva (2012) já tinham subido no lugar mais alto do pódio do Huanchaco Repalsa Longboard Pro .

    Leia tudo sobre: surfe