Tamanho do texto

Uma boa classificação em Sunset pode garantir os brasileiros Ian Gouveia e Bino Lopes para o CT em 2017

Uma boa colocação em Sunset pode garantir ao surfista Frederico Morais uma vaga na elite do surfe
WSL / Kelly Cestari
Uma boa colocação em Sunset pode garantir ao surfista Frederico Morais uma vaga na elite do surfe

A última etapa do ano do Qualifying Series, a divisão de acesso do surfe, começa nesta sexta-feira (25) em Sunset Beach, no Havaí. O evento conclui a classificação dos surfistas para copetirem entre os melhores do mundo. Os 10 melhores colocados do QS garantem a vaga na elite mundial do surfe e passam a disputar o CT no ano que vem.

Surfe: saiba tudo sobre o esporte e estilo de vida

O português Francisco Morais está em cima do muro com a décima colocação e 16.010 pontos. Em entrevista ao site oficial da WSL, o surfista demonstra-se calmo. "Eu estou tranquilo, eu amo Sunset , é uma onda muito boa... Eu não tenho nada a perder. Eu só vou me divertir e espero passar algumas baterias e quem sabe, fazer uma final".

Logo atrás dele, aparece o brasileiro Thomas Hermes, ameaçando com 15.750 pontos. Ryan Callinan (AUS) e os brasileiros Bino Lopes e Ian Gouveia também estão na zona de perigo. Atualmente na nona, oitava e sétima posição, respectivamente, ambos correm o risco de não garantir uma vaga caso percam de cara na etapa final.

O atual ranking do QS 2016:
1º Connow O'Leary (AUS): 24.025 pontos
2º Joan Duru (FRA): 22.500 pontos
3º Kanoa Igarashi (EUA): 21.800 pontos
4º Ethan Ewing (AUS): 21.350 pontos
5º Leonardo Fioravanti (ITA): 20.800 pontos
6º Jeremy Flores (FRA): 19.450 pontos
7º Ian Gouveia (BRA): 18.410 pontos
8º Bino Lopes (BRA): 17.900 pontos
9º Ryan Callinan (AUS): 16.250 pontos
10º Frederico Morais (POR): 16.010 pontos

Leia mais: WSL divulga calendário 2017 do mundial de surfe

TRIPLE CROWN

Atual campeão mundial de 2016, John John Florence busca seu terceiro título na Tríplice Coroa Havaiana, conquistado anteriormente em 2011 e 2013. Depois de vencer o primeiro evento do trio de campeonatos no início do mês em Haleiwa, o havaiano agora busca um bom desempenho em Sunset Beach.

No topo do ranking da elite mundial, John John só entra na água durante o terceiro round do Vans World Cup of Surfing. Na oitava bateria, ele enfrenta o também havaiano Wyatt McHale e outros dois surfistas que ainda serão classificados do round 2.

O campeão antecipado garantiu o título mundial de 2016 durante a penúltima etapa em Portugal. Na ocasião, o jovem de 24 anos venceu em Peniche e eliminou qualquer possibilidade de ser alcançado pelo segundo colocado Gabriel Medina. Com o título desta temporada, John John ainda tira o jejum havaiano de 12 anos sem campeões mundiais. O último aconteceu no ano de 2004, com o legendário Andy Irons.

Leia mais: Silvana Lima vence na Austrália e é campeã do WQS 2016

A vitória mundial também quebra a sequência de brasileiros, com Gabriel Medina em 2014 e Adriano de Souza Mineirinho em 2015. Medina, inclusive é o defensor da tríplice coroa do ano passado.

Depois de Haleiwa e Sunset Beach, o campeonato final que garante a Triple Crown acontece nas temidas ondas de Pipeline, no Pipe Masters. Depois do título de campeão mundial, a 'tríplice coroa' é considerada a segunda premiação mais importante do surfe mundial. Vencê-la significa dominar três ondas difíceis na ilha de Oahu, Havaí.

    Leia tudo sobre: surfe
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas